31 de ago de 2009

Congregação Monte Getsêmani - Campo Grande - RJ

Festa de primeiro aniversário da Congregação Monte Getsêmani , dia 29 de Agosto em Campo Grande , RJ.

Na primeira foto: Missionária Luciana, mulher abençoada

Na segunda foto: Pastor Luiz Carlos ( São João Del Rei)

Na terceira foto, da esquerda para a direita:Pastor Vicente, Pastor Luiz Carlos e Pastor Benigno,de São João del Rei; e PastorDantas de Campo Grande.

Foi um culto cheio da presença do Senhor, muito abençoado!



27 de ago de 2009

A cura pela cruz




"Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados." 1Pedro 2:24

O mundo é um grande hospital e a humanidade uma multidão de enfermos e doentes.
A estatística neste caso é precisa: o gênero humano encontra-se todo contaminado e profundamente insalubre. Não há ninguém isento desta epidemia genérica. Por que haveis de ainda ser feridos, visto que continuais em rebeldia?
Toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo. Desde a planta do pé até à cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo. Isaías 1:5-6. Isto não é apenas uma estimativa para Israel. Este diagnóstico cobre toda a população da terra. Somos uma raça moribunda.
Em conseqüência do pecado, o espírito ficou separado de Deus, a alma tornou-se penalizada e enferma, e o corpo sujeito às doenças e indisposições. Há uma certa correlação de causa e efeito: o espírito abatido vem enfermar a alma, que acaba adoecendo o corpo. O abatimento é espiritual, a enfermidade é psíquica e a doença é física. O espírito do homem o sustenta na enfermidade, mas o espírito abatido quem o suportará? Provérbios 18:14. (Ed. Contemporânea). Tudo começa no íntimo do espírito. O espírito é o coração do ser humano. Quando o coração encontra-se independente de Deus, um grande vazio toma conta da alma e, conseqüentemente, o corpo termina sofrendo os achaques psicossomáticos.
Por isso, a Bíblia sustenta a necessidade prioritária de um cuidado essencial com o coração. Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Provérbios 4:23. A vida sempre procede do coração. F. W. Foerster salienta, em uma de suas páginas, que certa vez, perguntaram a De Maistre se ele sabia como era o coração de um homem mau. O educador respondeu: Não sei, mas sei como é o de um homem bom - é horrível!
O homem natural é um ser espiritualmente separado de Deus, psicologicamente transtornado pelos efeitos arrogantes do pecado e sujeito a todos os males causados pelas moléstias que se manifestam no seu corpo. As doenças são, freqüentemente, resultantes dos desequilíbrios emocionais e estes, por sua vez, são conseqüências da morte espiritual. A dor é, quase sempre, fruto das enfermidades e estas, com efeito, provêem do pecado. J. Blanchard afirma: Toda enfermidade é, em última análise, resultado do pecado, mas nem sempre decorre diretamente dele. O rei Salomão, por revelação do Espírito, precisou muito bem o foco do problema: O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos. Provérbios 17:22. O coração alegre é aquele que tem experimentado a salvação graciosa de Deus, em Cristo Jesus. O espírito abatido, por outro lado, causa enfermidades na alma, secando os ossos e permitindo a instalação das doenças em nossos corpos. Sabemos que a medula óssea é um dos responsáveis pela fabricação dos elementos de defesa do nosso organismo. Quando o sistema imunológico é afetado pelos efeitos universais do pecado na raça humana, sofremos profundamente com as doenças resultantes de nosso enfraquecimento.
A regeneração espiritual é a primeira providência divina para a restauração da espécie humana. Se o pecado nos separou de Deus, causando um estrago irremediável do ponto de vista do homem, só Deus pode nos salvar verdadeiramente deste estado de separação. Por isso, a cruz se tornou o centro cirúrgico da maior operação já realizada. H. C. Trumbull disse que, o Calvário mostra como os homens podem ir longe no pecado, e como Deus pode ir longe para salvá-los. A crucificação de Cristo e a nossa crucificação juntamente com Cristo se tornam a medida prioritária para a recuperação plena do ser humano. Somente os justificados pela cruz podem ser vivificados pela ressurreição. Somente os regenerados pela graça podem ser verdadeiramente curados de suas enfermidades psíquicas através dos efeitos permanentes da cruz.
A doutrina da salvação do homem pode ser vista em três fases distintas: a vivificação do espírito, promovida pelo sacrifício vicário do Cordeiro de Deus e sua ressurreição; a santificação da alma, patrocinada pelo Espírito através da vida poderosa de Cristo, e a glorificação do corpo, determinada pela ressurreição dos santos e transformação dos vivos, e seu arrebatamento. As três etapas falam da salvação em três tempos: fomos salvos da condenação do pecado pela vitória de Cristo; estamos sendo salvos do poder do pecado pela vida de Cristo, e seremos salvos da presença do pecado pela vinda de Cristo. Fomos vivificados em nosso espírito, estamos sendo santificados em nossa alma e seremos glorificados em nosso corpo. Por isso, só os regenerados pelas misericórdias de Deus podem ser realmente curados, pela graça de Cristo, de todas as suas enfermidades. A cruz que sacrificou a Cristo Jesus deixou as feridas que saram as enfermidades. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53:5. Temos aqui a garantia bíblica da cura de nossas enfermidades. Muita gente que se encontra doente em seus corpos sofre de grandes enfermidades em suas almas. S. I. McMillen afirma que, a ciência médica reconhece que emoções como medo, tristeza, inveja, ressentimento e ódio são responsáveis pela maioria de nossas doenças. Os cálculos variam de 60% a quase 100%.
As doenças são quase sempre resultantes das enfermidades. O corpo sofre os efeitos da alma. Uma mente ansiosa ou amargurada termina detonando o organismo. Emoções distorcidas acabam deformando o corpo. Por isso, os antigos latinos costumavam dizer: mens sana in corpore sano (mente sã num corpo são). Só uma mentalidade sadia pode promover uma boa saúde física. Muita gente que já foi regenerada em seu espírito continua enferma em sua alma. Muitos traumas e contusões emocionais persistem ocultas, determinando reações enfermiças. Sabemos que a alma está sendo salva pelo poder da vida de Cristo, mediante a instrumentalidade da Palavra de Deus. Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma. Tiago 1:21. A regeneração do espírito é um ato soberano da graça de Deus, mas a cura da alma é um processo gracioso das pisaduras de Jesus.
Quando contemplamos, pela Palavra, os efeitos poderosos do Calvário, somos atingidos em cheio no cerne de nossos problemas. O método de Deus para a cura de nossas almas se revela no íntimo, pela eficácia de Cristo crucificado. A cura interior só acontece de verdade quando consideramos a cruz em nosso interior como o instrumento que mata o ódio, a amargura, a vingança, a inveja, o medo e todos os sentimentos enfermiços da alma. Foi com esta visão que G. Campbell Morgan disse: Quem na verdade contemplou a cruz de Cristo não pode jamais falar de casos sem esperança. Mesmo aqueles que se encontram contundidos com os estigmas da crueldade e rejeitados por aqueles que deveriam ser os mais afetuosos podem ter esperança. A Bíblia mostra, sempre, um Deus que é misericordioso e sensível para com os quebrantados de espírito. Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia. Salmos 103:3-4.
O Evangelho é efetivamente uma boa notícia. É o anúncio de um Deus gracioso que se interessa profundamente por um homem abatido, enfermo e doente. Deus se tornou gente por se importar com a gente que sofre com o agente da dor. Jesus Cristo é o Deus de toda a graça que regenera o pecador, santifica o regenerado, cura o santo enfermo, sara o enfermo são e restaura o homem totalmente, pelas suas pisaduras. Não estamos sustentando o curandeirismo, nem tampouco que Deus deva curar todas as nossas doenças, mas que a verdadeira cura está no poder de Cristo crucificado. Como Spurgeon, arrisco-me a dizer que a maior bênção terrena que Deus pode dar a cada um de nós é a saúde, com exceção da doença. Esta, muitas vezes, tem sido mais útil aos santos do que a saúde. Creio, como Abraham Wright, que eu posso ser abençoado por minhas doenças, enriquecido por minha pobreza e fortalecido por minha fraqueza. Mesmo assim, creio que o objetivo final da salvação é um homem consagrado no seu espírito, santificado em sua alma e saudável no seu corpo. Por isso, Cristo realizou uma salvação perfeita.
Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer... Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas... Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. Isaías 53:3a e Hebreus 4:15a-16.

Autor: Desconhecido

( Fonte: Estudos Bíblicos Gospel)

26 de ago de 2009

Esboço para pregação

Atos 12. 1-24


Tema: O valor que tem, quem dá glória a Deus

1 - Sempre em oração - Vs 5

2 - Opressão - Vs 6

3 - Resposta de Deus - Vs 7

4 - Renovação - Vs 8
* Cinge-te
* Ata tuas alparcas
* Lança às costas a tua capa

5 - Livramentos - Vs 11

* Da mão dos inimigos

6 - A resposta da oração - Vs 12 -14


O preço para quem não dá glória a Deus


* As vestes da Terra e práticas da Terra


Herodes é comido de bichos - Vs 23

1 - Bicho do orgulho

* Em não reconhecer que Jesus é o Rei


2 - Bicho da raiva

* Coração de pedra


3 - Cercado de pessoas negativas

* Dando ouvidos aos judeus , Atos 12.3


4 - Vitória do povo sobre o inimigo - Vs 24


( Pastor Luiz Carlos Cláudio - AD São João del Rei - MG)


24 de ago de 2009

Reflexão


A Caverna


Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia:
_ Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se porém de uma coisa: Depois que você sair a porta se fechará para sempre. portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal...
A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamenta, tudo o que podia no seu avental.
A voz misteriosa falou novamente:
_ Agora você tem somente oito minutos.
Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...
Lembrou-se, então, que a criança lá ficara e a porta estava fechada para sempre.
A riquesa durou pouco e o desespero sempre...
O mesmo acontece, por vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver neste mundo, e uma voz sempre nos adverte:"Não se esqueça do principal". E o principal são os valores espirituais, a oração, a vigilância, a vida! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais, nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado... Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial: "Os tesouros da alma".
Que jamais nos esqueçamos que a vida, neste mundo passa, breve e que a morte chega de inesperado. E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerão as lamentações.


( Bíblia online)

20 de ago de 2009

Esboço para pregação

Tema: Quando Deus está em silêncio - Êxodo 17. 1-7


1- Passando pelo deserto - Vs 1
. Permissão de Deus

2 - Deus em silêncio - Vs 2

. Por que tentai ao Senhor?
. Hora de pegar em oração

3 - O risco de perder a benção - Vs 3

4 - Quando está no limite a ponto de largar tudo - Vs 4

5 - Quando Deus sai do silêncio - Vs 5

6 - Saindo do deserto - Vs 6

. Tocando na rocha (Deus)

7 - Todos abençoados, pelo privilégio de poucos - Vs 7


(Pastor Luiz Carlos Cláudio - Assembléia de Deus - São João del Rei)

18 de ago de 2009

Você é aceito por Deus


“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma”, escreveu Davi. E o próprio Senhor Jesus também dissera: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” (João 5.39.) Se o maior inimigo é a ignorância, tenho de pautar a minha vida pela Palavra de Deus. E vida eterna a que Jesus se refere não é quantidade de vida, mas qualidade de vida, sem feridas ou traumas. E esse é o sonho de Deus para
os seus filhos. O Senhor Jesus disse: “[...] eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10.10b.)
A palavra “vida”, no grego, não significa a nossa vida, mas é a palavra “zoe”, ou seja, a própria vida de Deus. É isto que o Senhor operou em nós. Quando nos convertemos, passamos a ter ‘a vida’.
O inimigo só consegue me ferir quando eu deixo de
lado o que é mais importante na minha caminhada, que
é a minha identidade com Deus. Quando eu esqueço a
minha identidade e começo a abrir espaço para a autocomiseração,
o inimigo encontra um espaço terrível para continuar ferindo e mantendo as feridas abertas, para não cicatrizarem. Existem pessoas que passam anos e
anos com feridas expostas, chagas na alma abertas porque desprezam o que está escrito na Palavra: “A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma.”
Eu quero “plantar” no seu coração algo e você nunca
poderá esquecer desta verdade: não temos que caminhar
por aquilo que sentimos, por aquilo que as pessoas dizem a nosso respeito, e nem dar ouvidos às mentiras de Satanás e seus demônios, mas única e exclusivamente sob a Palavra de Deus e do que ela diz a nosso respeito. Temos de estar convictos acerca da nossa identidade em Cristo Jesus. Uma coisa é termos a identidade e outra é assumirmos a posição que a identidade nos dá.
Todos conhecem a história do príncipe que virou
mendigo. A identidade dele era a de príncipe, mas a posição dele era de mendigo. Isto quer dizer que a pessoa pode ter a identidade de príncipe e viver como mendigo.
O que acontece? Ele não desfruta da sua identidade. São duas realidades completamente distintas, porque a simples identidade, por si só, não leva a pessoa a viver a posição.
A mesma situação na história do filho pródigo (Lucas
15.11). Quando, digamos assim, o filho mais abusado volta e o pai celebra uma festa, há muita alegria, e quando o irmão mais velho, voltando do campo, ouve o som da música e percebe que alguma coisa está acontecendo, ele pergunta: “O quê está havendo?” E dizem para ele: “Teu irmão voltou”. Esse texto trata de identidade. O moço, a ouvir a resposta de que seu irmão voltara após tanto tempo fora de casa, ele fica do lado de fora e diz: “Aquele indigno voltou e meu pai está dando uma festa para ele? Eu não vou entrar”.
O pai vem e procura demovê-lo da sua atitude e diz: “Filho”
– essa era a identidade do moço – “seu irmão” – a identidade de seu irmão – “voltou”. E o filho volta para o pai e diz: “Meu pai, há tantos anos eu te sirvo e o senhor nunca me deu um cabritinho sequer para eu me alegrar com os meus amigos”. Ou seja, o moço tinha identidade correta, mas a posição dele não era a posição de filho, mas de servo, de escravo, porque assim se via, ainda que sendo filho. Eis sua identidade de servo: “Há tantos anos eu te sirvo e o senhor nunca me deu um cabritinho sequer para eu me alegrar com os meus amigos”. O pai retruca, na intenção de reafirmar a identidade do filho: “Filho, tudo o que eu tenho é teu”.
Aquele moço tinha a identidade de filho, mas ele não
desfrutava dessa posição e por isto vivia na casa e não via o pai como pai, mas como patrão, como um líder, como aquele que dava ordens. Ele não desfrutava da posição de filho. Pura falta de conhecimento. Naquele instante, o pai disse: “Meu filho, tudo o que eu tenho é teu”.
Para as feridas da alma, “a lei do Senhor é perfeita e restaura a alma”. A primeira coisa que nós temos que guardar, imprimir em nossa alma, é exatamente o conhecimento sobre quem somos em Cristo. Quem eu sou em Cristo? Declare que você é aceito pelo Pai e não um rejeitado.
O Pai o aceitou não pelos méritos ou pelas virtudes que você possui, Ele o aceitou pela sua graça absoluta.


( Pr Márcio Valadão - Livro "Restaurando o ferido")

15 de ago de 2009

Reflexão

Círculo do ódio


Um senhor muito importante gritou com o Diretor de sua empresa, porque estava zangado nesse momento.

O Diretor chegou em casa, e gritou com sua esposa, acusando-a de gastar muito dinheiro, porque tinha muita comida na mesa.

Sua esposa gritou com a empregada porque esta quebrou um prato.

A empregada deu um pontapé no cachorro porque este lhe fez tropeçar.

O cachorro saiu correndo e mordeu uma velhinha que passava pela rua, porque estava obstruíndo sua saída pela porta.

Essa velhinha foi até a farmácia para tomar uma vacina contra a mordida e, ela gritou com o farmacêutico porque a vacina lhe doeu muito ao ser aplicada.

O farmacêutico, por sua vez, e chegou em casa e gritou com sua mãe, porque a janta não estava de seu agrado.

Sua mãe, tolerante e em um manancial de amor e perdão, acariciou seus cabelos, e lhe disse:

Filho querido, prometo que amanhã eu farei seu prato predileto. Você trabalha muito, se cansa bastante e precisa de uma boa noite de sono.

Vou trocar os lençóis de sua cama e colocarei uns lençóis limpinhos e perfumados, para que Você possa descansar em paz.

Abençoou seu filho, saiu do quarto e o deixou sozinho no quarto, perdido em seus pensamentos... Nesse exato instante, o Círculo do ódio se interrompeu, porque este se deu de cara com a TOLERÂNCIA, a DOÇURA, o PERDÃO e o AMOR.

Se você entrou nesse círculo, não se entristeça, tenha paciência; porque só Você pode interromper esse círculo, por meio da TOLERANCIA, DOÇURA , PERDÁO E AMOR...

Lc 6.37 - Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.


Rm 12.10 - Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros;


1Pe. 1. 22 - Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não fingido, de coração amai-vos ardentemente uns aos outros,

Deus está no comando

12 de ago de 2009

Evangelizar


POR QUE EVANGELIZAR?


Existem oito razões para “incomodar” as pessoas com a pregação do evangelho:
1. O amor de Deus. Evangelismo é um ato de amor (João 3:16, Mt. 5:45-44).
2. A ordem de Jesus. Evangelizar os nossos semelhantes foi o último mandamento do Senhor antes de partir.
3. O Dom do Espírito Santo. (João 15:26-27; 20:21-22). Somos enviados ao mundo por Jesus munidos com o Dom do ES.
4. O clímax da história. Evangelismo está conectado com o clímax da história que se dará no retorno de Jesus Mt.24:14. Evangelizar é apresentar esse clímax.
5. A responsabilidade da Igreja. Os únicos que podem tornar Cristo conhecido são os que O conhecem (Atos 20:26; II Co. 5:20; 4:1).
6. O privilégio do cristão. Temos recebido o ministério da pregação (I Tm. 1:11,13-15).
7. A necessidade da humanidade. Bilhões de seres humanos estão condenados se não anunciarmos a eles as boas novas de Jesus Cristo (Ef. 2:1,12; II Co. 4:3-4).
8. A alegria da missão. Os Céus se alegram quando um pecador se arrepende. Não deveria acontecer o mesmo conosco?

PRIORIDADES:
Familiares
1. Porém isso não deve ser desculpa para não evangelizar outras pessoas. A questão maior desse ponto é o não negligenciar os entes queridos.
Adventistas em potencial
1. Pessoas que vem a igreja e não recebem atenção.
2. Antes de convidar alguém para minha casa eu preciso saber e preparar-me para receber essa pessoa.
As pessoas de fora em geral.

EFÉSIOS 4:8-16:
1. Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, mestres.
2. Versículos 12 (tendo em vista...), 13 (até que...), 14 (para que...) – tudo isso indica propósito.
3. Propósito desses dons: Para que os santos (sacerdócio real), sejam aperfeiçoados para o desempenho do seu serviço (ministério de todos os crentes).
4. Para a edificação do corpo de Cristo



( Flávio Siqueira)

7 de ago de 2009

Salvo pela fé

Nosso valor vem de Deus

Entender que Nosso Senso de Valor Próprio Deve Vir de Deus

Temos de formar nosso senso de valor próprio a partir do que Deus diz, e não dos falsos reflexos que vêm das outras pessoas, do diabo e, até mesmo, do nosso passado.

Temos de fazer uma escolha que definirá a nossa vida:

• vamos dar ouvidos a Satanás e a todas as mentiras que ele nos diz, às distorções e às mágoas do passa­do que nos mantêm aprisionados por certos sentimentos e conceitos acer­ca de nós mesmos, que não são cris­tãos nem saudáveis?

• ou buscaremos nosso senso de valor próprio em Deus e em sua Pa­lavra?

Meditemos em algumas verdades divinas. Não temos o direito de menosprezar ou depreciar uma pessoa (nós) aquém...

Deus ama tanto.

Não devemos nos dizer:

"Bom, sei que Deus me ama, mas não gosto de mim mesmo."

Isso é um insulto a Deus e ao seu ilimitado amor. Quando despreza­mos um ser que é criação de Deus, estamos, na verdade, dizendo que não gostamos da "criatura" e não apreciamos muito o "Criador". Na verdade, não estamos vendo o quan­to Deus nos ama e o quanto signifi­camos para ele.

Deus honrou tanto.

"Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de Jato, somos filhos de Deus..." (1 João 3.1.)

Quando nos consideramos despre­zíveis e sem valor, sendo filhos de

Deus, essa falsa humildade fere o coração do Senhor.

Deus dá tanto valor.

Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer.

"Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo Jato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5.7,8.)

Deus deixou bem claro o valor que temos para ele. Ele nos atri­bui um valor tão elevado, que en­tregou a vida de seu Filho para nos salvar.

De onde tiraremos a base para formar nossa imagem própria? Das distorções de nossa infância? Das mágoas do passado e das falsas idéi­as que foram colocadas em você? Ou será que preferiremos dizer:

"Não; não darei mais ouvidos a essas mentiras do passado. Não es­cutarei o que Satanás diz, já que ele é o acusador, e me envia men­sagens confusas e falsas. O diabo nos cega e quer distorcer tudo. Vou escutar a opinião que Deus tem de mim, vou deixar que ele me progra­me, até que o bom conceito que ele tem de mim passe a ser o meu, atin­gindo até o mais íntimo dos meus sentimentos."

Permitamos que Deus nos ame, e deixemos que ele nos ensine a nos amar a nós mesmos, e a amar aos outros. Desejamos ser amados. Que­remos que Deus nos dê segurança, que nos aceite. E, aleluia, ele faz isso. Contudo, por causa da programação nociva que recebemos de outras fon­tes, temos dificuldade em aceitar esse amor. Aliás, isso é tão difícil, que tal­vez prefiramos continuar a ser como éramos.

Querido leitor, eu o desafio neste momento a iniciar esse processo de restauração, para que possa erguer bem alto sua cabeça, como filho ou filha de Deus.

( Jorge Linhares - Livro "Como Deus te vê")

3 de ago de 2009

Telefones abençoados


Telefônes Úteis


Favor Tenha Sempre a Mão Estes Telefones de Emergência

Falta de união
Chame Romanos 12

Desanimado com seu trabalho
Chame Salmos 126

Se as pessoas parecerem cruéis
Chame João 15

Se você for desprezado
Chame Salmos 27

Se o mundo parecer pequeno para você
Chame Salmos 19

Se você precisar ser frutífero
Chame João 15

Se seu bolso está vazio
Chame Salmos 37
Se você está perdendo a confiança nas pessoas
Chame 1 Coríntios 13
Quando Deus parecer distante
Chame Salmos 139

Quando em tristeza
Chame João 14

Quando os homens falharem com você
Chame Salmos 27

Quando o mundo parecer maior do que Deus
Chame Salmos 90

Quando você estiver em perigo
Chame Salmos 91

Quando você estiver solitário e com medo
Chame Salmos 23

Quando você se sentir deprimido e abandonado
Chame Romanos 8:31-39

Quando você for amargurado e criticado
Chame 1 Coríntios 13

Quando você tiver pecado
Chame Salmos 51

Quando você sair de casa para trabalhar ou viajar
Chame Salmos 121

Quando você pensa em retorno de investimentos
Chame Marcos 10

Quando voce precisar da segurança e garantia de Cristo
Chame Romanos 8:1-30

Quando você precisar de coragem para uma tarefa
Chame Josué 1

Quando você precisar paz e descanso
Chame Mateus 11:25-30

Quando você estiver preocupado
Chame Mateus 6:19-34

Quando sua fé precisar ser exercitada
Chame Hebreus 11

Quando suas orações forem egoístas
Chame Salmos 67

Os Telefones de Emergência podem ser discados diretamente! Não é preciso de assistência de um operador. Todas as linhas estão abertas para o céu 24 horas por dia! Alimente sua fé e as dúvidas irão desaparecer!

Salmo 1