7 de ago de 2009

Nosso valor vem de Deus

Entender que Nosso Senso de Valor Próprio Deve Vir de Deus

Temos de formar nosso senso de valor próprio a partir do que Deus diz, e não dos falsos reflexos que vêm das outras pessoas, do diabo e, até mesmo, do nosso passado.

Temos de fazer uma escolha que definirá a nossa vida:

• vamos dar ouvidos a Satanás e a todas as mentiras que ele nos diz, às distorções e às mágoas do passa­do que nos mantêm aprisionados por certos sentimentos e conceitos acer­ca de nós mesmos, que não são cris­tãos nem saudáveis?

• ou buscaremos nosso senso de valor próprio em Deus e em sua Pa­lavra?

Meditemos em algumas verdades divinas. Não temos o direito de menosprezar ou depreciar uma pessoa (nós) aquém...

Deus ama tanto.

Não devemos nos dizer:

"Bom, sei que Deus me ama, mas não gosto de mim mesmo."

Isso é um insulto a Deus e ao seu ilimitado amor. Quando despreza­mos um ser que é criação de Deus, estamos, na verdade, dizendo que não gostamos da "criatura" e não apreciamos muito o "Criador". Na verdade, não estamos vendo o quan­to Deus nos ama e o quanto signifi­camos para ele.

Deus honrou tanto.

"Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de Jato, somos filhos de Deus..." (1 João 3.1.)

Quando nos consideramos despre­zíveis e sem valor, sendo filhos de

Deus, essa falsa humildade fere o coração do Senhor.

Deus dá tanto valor.

Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer.

"Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo Jato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5.7,8.)

Deus deixou bem claro o valor que temos para ele. Ele nos atri­bui um valor tão elevado, que en­tregou a vida de seu Filho para nos salvar.

De onde tiraremos a base para formar nossa imagem própria? Das distorções de nossa infância? Das mágoas do passado e das falsas idéi­as que foram colocadas em você? Ou será que preferiremos dizer:

"Não; não darei mais ouvidos a essas mentiras do passado. Não es­cutarei o que Satanás diz, já que ele é o acusador, e me envia men­sagens confusas e falsas. O diabo nos cega e quer distorcer tudo. Vou escutar a opinião que Deus tem de mim, vou deixar que ele me progra­me, até que o bom conceito que ele tem de mim passe a ser o meu, atin­gindo até o mais íntimo dos meus sentimentos."

Permitamos que Deus nos ame, e deixemos que ele nos ensine a nos amar a nós mesmos, e a amar aos outros. Desejamos ser amados. Que­remos que Deus nos dê segurança, que nos aceite. E, aleluia, ele faz isso. Contudo, por causa da programação nociva que recebemos de outras fon­tes, temos dificuldade em aceitar esse amor. Aliás, isso é tão difícil, que tal­vez prefiramos continuar a ser como éramos.

Querido leitor, eu o desafio neste momento a iniciar esse processo de restauração, para que possa erguer bem alto sua cabeça, como filho ou filha de Deus.

( Jorge Linhares - Livro "Como Deus te vê")

Nenhum comentário: