22 de dez de 2009

AMOR DE DEUS NÃO TEM LIMITES


Efraim (Israel) afastara-se para longe de Deus. As dez tribos tinham caí­do em tão crassa idolatria, que Deus disse: "Efraim está entregue aos ídolos; é deixá-lo" (Os 4.17). A inconstância espiritual de Efraim foi descrita pelo pro­feta como pão que não foi virado" (7.8). Israel erguera "altares para pecar" (8.11) e provocara "a Sua ira" (12.14). Efraim era "inclinado a desviar-se" de Deus (11.7). Perdera a força, e "não o sabia" (7.9). Certamente, Deus teria ra­zão se volvesse as costas a Efraim e deixasse-lhe as conseqüências de seu mau procedimento. Mas não faria isso o nosso Deus misericordioso!
Longe disso, Ele lamenta: "Como te deixaria, ó Efraim? Como te entre­garia, ó Israel?" Aí está uma das mais comovedoras passagens da Escritura. Servindo-se da figura da repetição, tão característica da poesia hebraica, duas vezes o Senhor expressa comovente preocupação por Seu povo.
"Eu o amei", declara Ele (11.1). Que riqueza de afeição envolve essas palavras! "Como te entregaria?" "Eu ensinei a andar a Efraim", diz Ele ainda (11.3), referindo-se aos anos durante os quais instruíra pacientemente Israel, por meio de Seus profetas. Nesse mesmo versículo, serve-se Ele do quadro de um pai amante, a ensinar seu filhinho a andar, tomando-o pelos braços. Se tropeça, o bondoso pai levanta o filho e o ajuda a prosseguir. "Como te deixa­ria?"
"Atraía-os com cordas humanas, com laços de amor" (11.4). Novamente o Pai celestial serve-se da figura de um pai amoroso, em relação a um filho desgar-rado, a fim de ilustrar Seu grande afeto para com o relapso. "Com amor eterno eu te amei, por isso com benignidade te atrai" (Jr 31.3). "Como te deixaria?"
Deus ainda trata com a mesma ternura Seus filhos erradios. Ainda hoje Ele insta conosco: "Como te deixaria?" "Com benignidade te atraí".
"Aquele que não poupou a seu próprio Filho, antes, por todos nós o entre­gou, porventura não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?" (Am 8.32).

(Coletânea - Natanael de Barros Almeida)

15 de dez de 2009

Uma chave para a felicidade



A QUEM PERTENCEM O MUNDO E TUDO O QUE NELE EXISTE?

R. Ao Senhor, nosso Deus e Pai.

"Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam. Fundou-a ele sobre os mares e sobre as correntes a estabeleceu". Salmos 24:1,2
"Minha é a prata, meu é o ouro, diz o Senhor dos Exércitos ". Ageu 2:8

A Bíblia declara que todas as coisas foram feitas por Deus e são mantidas por Deus.
A Bíblia também nos garante que toda a prata e ouro pertencem a Deus. Todos sabemos o que isso significa. Significa, simplesmente, que Deus é dono de toda a riqueza, de tudo o que há no mundo. Ele é o dono absoluto de todas as coisas. Muitos talvez tentem duvidar disso, alegando que o poder e a riqueza estão nas mãos de muitas pessoas corruptas, insensíveis a Deus, ateus e anti-Deus. Porém, isso não anula a verdade bíblica de que tudo pertence a Deus e que Ele é o dono de todas as coisas que há na Terra.



O QUE É O HOMEM EM RELAÇÃO A
TODAS AS COISAS QUE
PERTENCEM A DEUS?

R. Mordomo.


"Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e então partiu. O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco. Do mesmo modo o que recebera dois, ganhou outros dois. Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor. Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles. Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo; Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei. Disse-Ihe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor. E aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me confiaste; aqui tens outros dois que ganhei. Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor. Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste, e ajuntas onde não espalhaste, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu. Tirai-lhe, pois, o talento, e dai-o ao que tem dez. Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. E o servo inútil lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes". Mateus 25:14-30

Um mordomo é alguém a quem o seu senhor confia os seus bens para administrá-los.
Ele espera que o mordomo, seu empregado, faça a melhor aplicação possível dos bens a ele confiados.
Assim Jesus ensinou a esse respeito, como vemos no texto acima proposto.
Os bens do Senhor (Deus), nessa história coníada por Jesus, foram entregues a três servos, os mordomos desses bens. Eles deveriam fazer a melhor aplicação possível com os bens de seu Senhor. Dois deles fizeram uma boa aplicação, enquanto um, o que menos havia recebido, não aplicou corretamente o seu talento, pelo contrário, o invalidou enterrando-o. Os dois outros servos ganharam como recompensa o grande elogio do Senhor e o servo que havia recebido mais talentos ganhou ainda o talento que o outro negligenciara. O servo mau foi duramente castigado e lançado, para a eternidade, no fogo do inferno.
A história contada por Jesus é uma grande lição que serve de alerta para todos nós.
Os bens que temos, sejam eles espirituais ou materiais, pertencem a Deus. Somos apenas servos do Senhor, seus mordomos, para aplicar da melhor maneira possível o que Ele nos dá.
O servo negligente fez o acerto de contas somente no dia do Juizo Final e assim também será conosco.
Muitas pessoas estão usando as riquezas, principalmente os incrédulos, da maneira como bem entendem. Usam mal, gastam somente com seus próprios interesses, abusam dos pobres, vivem na luxúria e devassidão, perversão de toda sorte, pensando que nunca prestarão contas disso. Mas estão enganados. A riqueza da qual estão se aproveitando não lhes pertence. Pertence a Deus. Um dia, darão contas disso a Deus. E nós sabemos o que isso significa. Essas pessoas pensam que tudo o que estão usando é seu. Enchem o seu peito orgulhosamente dizendo que trabalharam para ter o que hoje possuem. E mentira. Tudo é de Deus. Se Deus não lhes desse vida, saúde e inteligência, nada teriam. Tudo é de Deus e um dia (infelizmente muito tarde para alguns) descobrirão essa grande verdade.
Porém, mais triste ainda é que muitos que se dizem cristãos convictos vivem de maneira semelhante. Usam e abusam dos bens materiais pensando que são seus. Mas não é assim. Tudo é de Deus. Essas pessoas são mais indesculpáveis ainda. Vivem na Igreja de Deus, ouvem a Palavra de Deus que os admoesta a esse respeito, mas ainda assim continuam vivendo como bem lhes parece. Seu acerto de contas com Deus também já está marcado. Estão negligenciando a verdade de que tudo é de Deus. Estão fazendo mau uso dos tesouros de Deus (seus bens materiais e espirituais).
Mantenhamos bem viva essa verdade em nossa mente: Tudo é de Deus! Somos apenas mordomos de seus bens. Um dia, Ele pedirá contas do que fizemos com relação a tudo o que Ele nos confiou.

( Trecho do livro: "Uma chave para a felicidade" A dinâmica dos dízimos e das ofertas de Cláudio Ernani Ebert)


10 de dez de 2009

ACOMODADOS ACORDEM


Acomodação; dicionário Aurélio

1)Ato ou efeito de acomodar(-se); arranjo, arrumação, acomodamento
2)Tendência a conformar-se com qualquer situação; conformismo
3)Adaptação, conformação, adequação


“Minha vida esta boa assim, porque mudar?” “Não vou me preocupar com nada...”
“Tanto faz se eu passar ou não de série na escola...” “outro dia eu vou à igreja”.
“Outro dia eu vou na reunião de oração”... Outro dia eu...

Quem nunca ouviu alguém dizer coisas assim?

Este estudo eu dedicarei exclusivamente a vocês, meus queridos “irmãos acomodados”.

Quanta gente anda por aí sem rumo, sem posição, querendo “deixar a vida levar” pra onde ela quiser... É incrível mais existem pessoas que andam por aí esparramadas no sofá esperando que as bênçãos caiam de pára-quedas do céu !!!

Tem gente que deixa de ir à igreja quando chove, devem ser de açúcar! Tem gente que deixa de sair de casa porque esta frio...

Quero falar sobre as pessoas que não lutam porque se acomodaram, essas pessoas não tem desejo de crescer, não se preocupam em lutar pelos seus direitos, elas não querem se “incomodar”, ou melhor, preferem “evitar a fadiga...”. Já ouviram isso? Vou dizer algumas coisas que acontecem com as pessoas acomodadas:

1)Pessoas acomodadas perdem tempo. Elas perdem tempo porque poderiam ter recebido bênçãos e há muito tempo...

2) Pessoas acomodadas tem tendência a se desviar, porque muitas vezes são atingidas pelo desanimo já que não vêem nada acontecer como conseqüência da acomodação.

3) Pessoas acomodadas não fazem as coisas acontecerem, não correm atrás dos seus ideais.

4) Pessoas acomodadas só pensam no seu bem-estar.

5)Provavelmente uma pessoa acomodada perde a esperança e desfalece na fé.

6)Pessoas acomodadas não buscam a Deus, muitas delas não oram, não jejuam, não lêem a palavra de Deus e como conseqüência deixam ser levadas pelas coisas mundanas, não se preocupam com as coisas de Deus.

7) Aquele que se acomoda não vigia, se conforma em continuar do mesmo jeito sem pensar em mudança alguma, se acostuma com a rotina do dia-a-dia, não pensa em novas oportunidades.

8) Pessoas acomodadas não são criativas, porque pegam as idéias dos outros para evitar ficar pensando. E são preguiçosas.

Como é bom descansar, sentar no sofá, ver televisão, dormir... Mais não é dormindo que recebemos as bênçãos, não é descansando, não é relaxando e se conformando, você recebe é lutando, é conquistando, perseverando, muitas vezes após um combate, muitas vezes até chorando e passando por lutas e aflições, mas Deus é por nós, Ele nunca nos deixa, Ele não nos desampara jamais.

Deus não quer que você se acomode, Ele quer que você lute, persevere, busque. Eu vou dizer a você que o caminho mais fácil é se acomodar, com certeza, assim você relaxa, porém, não é o melhor caminho. Aqueles que se acomodam se conformam com pouco, qualquer coisa para eles esta bom, não importa nada mais a não ser se instalar, se acomodar e se adequar ao melhor modo, deixar as coisas “rolarem naturalmente”.

Você tem que ser um guerreiro tem que lutar pra conquistar aquilo que você tem direito de receber como filho de Deus. Você não pode abrir mão de lutar e ser um vencedor, você deve sair do lugar de acomodação. Deus não se agrada da acomodação, Ele quer ver o nosso esforço, Ele quer ver a nossa dedicação.

Não se conforme com isto, Deus te chamou para ser um vencedor, e do mesmo modo que Ele te chama, Ele te capacita também, por isso, não há o que temer.
Não estamos em tempo de brincar, estamos em tempo de despertamento, de vigiar porque breve Cristo vem buscar a Sua igreja e já não falta muito.

Quantas coisas têm acontecido ultimamente, cada noticia podemos ver nos jornais por isso não é tempo de se acomodar.

O ato de se acomodar é se conformar e se acostumar com a vida do jeito que ela esta, é se esquecer de que existe um Deus que tudo pode fazer, é se esquecer de que Deus te chamou para vencer, e não para dormir!!!

Não se esqueça de que você é filho de Deus, não se esqueça de que você esta numa guerra. Por isso, lute, persevere, busque a Deus, não cesse de louvar, não cesse de orar. O Senhor tem um plano para sua vida, Ele quer te fazer vencer, Ele quer te libertar e te salvar.

Pessoas que lutam, vence. Pessoas que perseveram, pessoas que esperam no Senhor, pessoas que não desistem de suas bênçãos e de seus sonhos, são abençoadas por Deus, elas conquistam, elas prosperam, elas recebem e vêem na sua vida as promessas de Deus sendo cumpridas. É por isso que você deve lutar sem desistir, sem se acomodar, pois ninguém pode tirar a sua benção, ninguém pode tirar o que Deus tem para você.

Por isso meu irmão eu vou dizer mais uma vez: Lute, não olhe para trás, não desista agora não, seja você um vencedor, seja você um guerreiro. Saia do lugar de acomodação, saia do conformismo. Deus tem grandes planos para sua vida.



( Liliana dos Santos chaves)

6 de dez de 2009

NÃO VOS ENGANEIS




Mas receio que, assim como a
serpente enganou a Eva com
a sua astúcia, assim também
seja corrompida a vossa mente
e se aparte da simplicidade e
pureza devidas a Cristo.
I Coríntios 11:3.

A natureza do engano
constitui-se de aparência
de sinceridade, de
pureza e de semelhança.
O Diabo não se apresentou a Eva
abertamente dizendo: “eu sou o diabo,
o inimigo de Deus, e venho para
O caluniar e arruinar-te”. O engano
da serpente veio adornado da proposta:
“como Deus sereis”.
O homem não-regenerado está
na condição de enganado: Pois nós
também, outrora, éramos néscios, desobedientes,
desgarrados, escravos de toda
sorte de paixões e prazeres, vivendo em
malícia e inveja, odiosos e odiando-nos
uns aos outros. Tito 3:3. O religioso
que anda segundo a lei, também está
nesta condição: Ai de vós, escribas e
fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes
aos sepulcros caiados, que, por
fora, se mostram belos, mas interiormente
estão cheios de ossos de mortos
e de toda imundícia! Mateus 23:27.

O homem é, antes de tudo, enganado
pelo seu próprio coração: Enganoso é
o coração, mais do que todas as coisas,
e desesperadamente corrupto; quem o
conhecerá? Jeremias 17:9.
O temor de Paulo não era que
os Coríntios rompessem de forma
aberta e completa com Cristo, mas
que se afastassem paulatinamente
da simplicidade e pureza que haviam
aprendido; que fossem seduzidos
por estranhas invenções e doutrinas
de falsos mestres. No engano, as falsas
doutrinas serão pregadas como se
fossem verdades: “parece mais não é”.
Alguém disse: “De todas as artes, a
mais bela é a de saber disfarçar-se”.
Satanás opera sob o disfarce da
luz. Porque os tais são falsos apóstolos,
obreiros fraudulentos, transformando-se
em apóstolos de Cristo. E não é de
admirar, porque o próprio Satanás se
transforma em anjo de luz. Não é muito,
pois, que os seus próprios ministros se
transformem em ministros de justiça; e
o fi m deles será conforme as suas obras.
II Coríntios 11:13-15. A máscara que
os falsos pregadores usam, a sutiliza
que exibem em seus discursos parecem
ardilosamente ajustados à nossa
propensão natural para a mentira
(me engana que eu gosto) bem como,
aos desejos dos portadores de “coceira
nos ouvidos”. Tudo isso tem contribuído
para que muitos se afastem da
simplicidade do evangelho. Porém,
quando somos enganados?
Quando nos dizem que não temos
pecado: Se dissermos que não temos
pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos,
e a verdade não está em nós.
I João 1:8. A Palavra de Deus afi rma:
Pois todos pecaram e carecem da glória
de Deus. Romanos 3:23;
Quando pensamos que somos
alguma coisa não sendo nada: Porque,
se alguém julga ser alguma coisa,
não sendo nada, a si mesmo se engana
Gálatas 6:3;
Quando pensamos que somos sábios:
Ninguém se engane a si mesmo:
se alguém dentre vós se tem por sábio
neste século, faça-se estulto para se tornar
sábio. I Coríntios 3:18;
Quando achamos que os injustos
herdarão o reino de Deus: Ou não
sabeis que os injustos não herdarão o
reino de Deus? Não vos enganeis: nem
impuros, nem idólatras, nem adúlteros,
nem efeminados, nem sodomitas, nem
ladrões, nem avarentos, nem bêbados,
nem maldizentes, nem roubadores
herdarão o reino de Deus. I Coríntios
6:9;
Quando fomentamos especulações
irreverentes: Não vos enganeis:
as más conversações corrompem os
bons costumes. I Coríntios 15:33;
Quando usamos nosso próprio
raciocínio para compreendermos a
palavra de Deus, e uma linguagem
sofi sticada para explicarmos a sim-
plicidade do evangelho - morte e ressureição
de Cristo. Assim digo para
que ninguém vos engane com raciocínios
falazes. Colossenses 2:4;
Quando cremos que é por meio
de obras que obtemos a salvação,
sendo que, na verdade, a nossa incapacidade
é a matéria-prima da graça.
Dirigiram-se, pois, a ele, perguntando:
Que faremos para realizar as obras de
Deus? Respondeu-lhes Jesus: A obra
de Deus é esta: que creiais naquele que
por ele foi enviado. João 6:28-29;
Quando confi amos no pregador,
nas estruturas criadas por mãos humanas,
nas realizações pessoais, nas
maravilhas e até mesmo na própria
“experiência espiritual”. Muitos, naquele
dia, hão de dizer-me: Senhor,
Senhor! Porventura, não temos nós
profetizado em teu nome, e em teu
nome não expelimos demônios, e em
teu nome não fi zemos muitos milagres?
Mateus 7: 22.
A insensatez de todos aqueles que
não possuem mais do que a aparência,
será manifestada. Então, lhes direi
explicitamente: nunca vos conheci.
Apartai-vos de mim, os que praticais
a iniqüidade. Mateus 7:23. O falso
se assemelha tanto ao verdadeiro,
que o Senhor Jesus nos adverte do
perigo: Porque surgirão falsos cristos e
falsos profetas operando grandes sinais
e prodígios para enganar, se possível, os
próprios eleitos. Mateus 24:24.
Tudo aquilo que está fora de Cristo
é falso. Não existe, rigorosamente
falando, nenhum outro lugar seguro
fora da Pessoa do Senhor Jesus Cristo.
Ele é o único fundamento no qual
o homem pode descansar. Deus entregou
tudo ao Seu fi lho. O Pai ama
ao Filho, e todas as coisas tem confi ado
às suas mãos. João 3:35.
Deus confi ou ao Seu fi lho, e não
a nós, a realização de todas as coisas.
A nós cabe um simples olhar para
a Pessoa do Senhor Jesus Cristo:
Olhando fi rmemente para o Autor e
Consumador da fé, Jesus, o qual, em
troca da alegria que lhe estava proposta,
suportou a cruz, não fazendo caso
da ignomínia, e está assentado à destra
do trono de Deus. Hebreus 12:2.
O fundamento da salvação é o
Cristo morto e ressuscitado. Ver Jesus,
com os olhos da fé, pregado na
cruz e assentado no trono, é uma visão
que deve dar paz sólida à consciência
e perfeita liberdade ao coração.
O Senhor Jesus liquidou todas as
coisas na cruz a favor do Seu povo.
O Cristo ressuscitado é a prova eterna
de uma redenção efetuada, e Nele
temos a garantia de uma verdadeira
experiência.

Humberto Xavier Rodrigues

Revista Betel ESTUDO BÍBLICO

29 de nov de 2009

ATRIBUTOS MORAIS DE DEUS




“Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso Deus”.Lv 20:7

“Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”. 1Pe 1:16

Encontramos o padrão da vida cristã em Deus, e esse padrão é demonstrado através da Escritura Sagrada.

Não adianta tentarmos inventar filosofias ou desculpas para nossas atitudes erradas. O padrão estabelecido por Deus é a Sua Palavra. Não adianta dizermos que somos falhos, isso nós já sabemos. Deus não pede, Ele manda que busquemos a santificação. Para o cristão, isso não é uma opção.

Ao procurarmos observar Deus através daquilo que Ele mesmo revela, encontramos os atributos morais. Essa moralidade é demonstrada de forma clara, e ela que devemos buscar em nossas vidas.

O cristianismo não é uma religião sem regras. Se assim fosse seria sinônimo de anarquia. Apesar de estarmos na Graça, Deus estabelece regras em sua palavra para que vivamos de forma digna e agradável a Ele. A afirmação de que temos liberdade em Cristo, não estamos debaixo da lei etc. tem sido apresentada como desculpa para se viver uma vida alienada de princípios bíblicos, descomprometida com a verdade escriturística e arraigada na anarquia. Ora, a anarquia é a estrutura social em que não se exerce qualquer forma de coação sobre o indivíduo. Esse tipo de atitude culminará na negação do princípio da autoridade, e consequentemente irá produzir a desmoralização, desrespeito e avacalhação do ambiente em que se vive. Tudo isso terá como resultado final a desordem, confusão e baralhada. Isto é, tudo será permitido em defesa da suposta liberdade em Cristo. Será permitido beber demasiadamente e cantar em um coral, ou prostituir-se descaradamente e subir nos púlpitos para se realizar apresentações, mentir, fofocar, provocar intrigas... tudo em nome da liberdade em Cristo. Muitos até afirmam que não podemos repreender alguém que está no erro, pois este será guiado pelo Espírito Santo, ou seja, impudentemente lançar-se-á nas costas do Espírito Santo a nossa própria responsabilidade.

Age-se com Deus, como se Ele não estivesse observando a nossa vida e não fosse nos pedir contas de nossas ações.

“Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”, foi o que disse Pedro. Essa santidade implica no afastamento e reprovação verbal e prática do pecado.

“Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé” (Tt 1:13), foi o que disse Paulo ao afirmar que a repreensão é bíblica e deve ser realizada se alguém deseja a saúde verdadeiramente espiritual.

Em 1 Coríntios capítulo 5 encontramos Paulo repreendendo a igreja porque esta sabia de um jovem que estava cometendo pecado e ninguém lhe havia repreendido, mas estavam convivendo harmonicamente com tal situação.

Ao estudarmos a moralidade de Deus, entendemos que Ele deseja que tenhamos a mesma atitude. Vejamos alguns pontos que julgamos importantes acerca de Deus. E entenda que ao usar a expressão ‘Deus’, refiro-me ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo:

Totalmente separado de tudo que é mal e que causa corrupção (Lv 11:44)

Totalmente perfeito, puro e íntegro (1Jo 1:5; Sl 99:9)

Odeia o pecado (Hc 1:13)

Sente prazer no que é santo e direito (Pv 15:9)

Não ouve aquele que insiste em continuar no pecado (Is 59:1-2)

Concede libertação a quem que se arrepende (1Pe 2:24)

Ao nos aproximarmos de Deus, algumas conseqüências surgirão, pois a santidade de Deus mostrará:

A realidade devastadora de nosso pecado (Jó 42:5-6)

A efetividade do arrependimento com a expiação através do sangue, antes do perdão (Hb 9:22)

A Graça remidora e o amor de Deus (Rm 5:6-8)

A necessidade de reverência e temor diante de Deus (Hb 12:28-29)

A veracidade da retidão de Deus (Sl 89:14)

A existência de regras e exigências por parte de Deus (Sl 145:17)

A execução das penalidades impostas pelas Suas leis (Sf 3:5)

A indignação contra o pecado e o amor a inteireza de caráter (Sl 11:4-7)

A punição para os perversos e injustos (Dn 9:12,14)

A concessão de perdão para o arrependido (1Jo 1:9)

A fidelidade ao cumprir a Sua Palavra e as Suas promessas (Ne 9:7-8)

A libertação e a defesa oferecidas ao Seu povo (Sl 103:6)

A recompensa para aqueles que foram justificados por Cristo (Hb 6:10)

A justificação daqueles que exerceram fé em Cristo (Rm 3:24-26)

A obliteração das penalidades que nós merecemos (Sl 103:8)

A doação de bênçãos para aqueles que não merecem (Ef 2:8-10)


Ao vermos a atitude de Deus para conosco só podemos chegar a uma conclusão: Quem se aproxima verdadeiramente de Deus sentirá um desejo irresistível de consertar a sua vida para se parecer mais com o Senhor.

A aproximação de Deus levará o indivíduo a entender a seriedade do pecado; a compreender a necessidade de se tratar o pecador e não agasalhar o seu pecado; a aceitar a existência de regras estabelecidas por Deus em Sua Palavra; a buscar a reverência, temor e respeito para com Deus e Sua obra; a demonstrar graça e misericórdia, sem se deixar confundir com harmonização com o pecado; a cumprir com fidelidade a vontade Divina; a doar-se em benefício dos outros, e em prol do Reino de Deus.

Quem se aproxima de Deus irá entender o quanto somos falhos e o quanto precisamos buscar a santidade. A santidade que nos faz parecer mais com Cristo, no meio de uma sociedade entregue ao pecado. A santidade que nos faz desejar estar com Cristo. A santidade que nos faz buscar o Reino de Deus e não este mundo. A santidade que nos faz parecer cada vez menos com o estereótipo estabelecido por um mundo cego espiritualmente.

Estar separado do pecado não é o mesmo que ser legalista, no sentido pejorativo da palavra, mas é ser um santo posicional, que busca uma santificação progressiva. É buscar ser santo em todos os aspectos. E se para a sociedade pós-moderna isso significa ser legalista, que sejamos antes legalistas do que mundanos, descomprometidos com Deus e alienados da instrução bíblica. Que sejamos, antes de qualquer coisa, servos que dão prazer ao Senhor, do que senhores que maltratam e alienam seus servos, agindo como se estivessem em pé de igualdade com o Senhor dos senhores.

Que sejamos servos de fato e de verdade, e não apenas de aparência. Que definitivamente possamos servir a Deus com aquilo que Ele nos deu, remindo o tempo, instruindo sinceramente o povo, conduzindo-os ao arrependimento e andando com ele, o povo, rumo ao objetivo proposto pelo Senhor. Que paremos de “matar” o tempo dentro de nossas casas com coisas supérfluas e luxos desnecessários e cumpramos a carreira que nos foi proposta.

Que possamos conduzir o povo até Cristo, e depois disso instruí-los em como proceder, e não conduzir o povo até nossos pensamentos particulares, alicerçados em nossas experiências pessoais, gerando um batalhão de alienados e idólatras de líderes mundanos e egocêntricos.

Que busquemos a Deus para parecermos mais com Ele.


Autor: Robson T. Fernandes

23 de nov de 2009

CINCO INGREDIENTES INDISPENSÁVEIS PARA A OBRA DE DEUS



1 - Visão
2 - Oração
3 - Relacionamentos Firmes
4 - Estratégia
5 - Ação



1 - VISÃO

O ingrediente número um para que a obra de Deus seja feita é a visão.
O arquiteto, antes de construir, desenha planos - faz um projeto completo. Deus, antes da criação do universo tinha um propósito eterno, uma clara e definida visão do que queria construir para a eternidade. Ef 1:4-14.
Jesus, ao vir ao mundo, antes de iniciar seu ministério, tinha uma clara visão do que vinha edificar.
A palavra que sintetiza a VISÃO DE DEUS e do Senhor Jesus é a palavra IGREJA.
Cristo declarou: “...Eu edificarei minha Igreja...” Mt 16:18

O QUE É A IGREJA?

Hoje, equivocadamente, se chama Igreja a um edifício material onde as pessoas se reúnem para realizar um culto ao Senhor. (Esses lugares não são nem igreja, nem templos, nem casas de oração).
A igreja é a comunidade de homens e mulheres que, reconhecendo a Cristo como Senhor, têm nascido de novo e juntos formam o povo de Deus.

A) - AS TRÊS CARACTERÍSTICAS DA IGREJA - Rm 8:28,29
- Qualidade - Ef 1:4; 3:16,17; 4:13:22-24ss; 5:25-27.
- Unidade - Ef 1:9-10; 2:14-16; 3:6,7,18 e 19; 4:1-6;1 3-16.
- Quantidade - Ef 1:13; 2:11-13,17; 3:8,9; 6:18-20.

Em João 17:
v. 15-17 - Qualidade ----> “... Santifica-os...”
v. 21-23 - Unidade -----> “...para que todos sejam um...”
v. 21 - Quantidade --> “...para que o mundo creia...”

QUALIDADE que produz UNIDADE que produz QUANTIDADE

Em 1 Coríntios 3:
v. 12 - Qualidade -----> “... ouro, prata, pedras preciosas ...”
v. 3-8 -Unidade ------> (a falta de unidade revela falta de qualidade) “...sois carnais...”
v. 10 - Quantidade ---> “...cada um veja como edifica...”

Em Apocalipse 21:9-21:
Visão da Igreja, da Esposa do Cordeiro: “...me mostrou a grande cidade santa...” (v. 10). Na descrição que segue da Igreja se pode ver as três características de qualidade, unidade e quantidade.

B) - A COMUNIDADE QUE DEUS SE PROPÔS LEVANTAR

De acordo com as Sagradas Escrituras, Jesus Cristo quer levantar uma igreja gloriosa e santa, sem mancha, nem ruga ou coisa semelhante (Ef 5:26,27); edificada com ouro, prata e pedras preciosas (1 Coríntios 3:11-15); até que todos cheguemos ... à medida da estatura da plenitude de Cristo (Ef 4:13). Em termos práticos isto significa uma igreja integrada por famílias que vivem em paz e harmonia. Maridos ternos, sábios, amáveis. Esposas submissas, de caráter afável e aprazível. Filhos respeitosos e obedientes. Rapazes e moças que cheguem virgens ao casamento. Anciões honráveis e venerados pelos mais jovens. Crianças felizes criadas no amor e temor do Senhor. Homens trabalhadores, responsáveis, diligentes e fiéis. Mulheres virtuosas, alegres, cheias de boas obras. Um povo diferente, formado por discípulos que aprendem a ser humildes, pacientes, mansos, justos, generosos, sinceros, bons, felizes, honrados, íntegros. Discípulos cujo estilo de vida é amar, perdoar, servir, confessar suas faltas, obedecer, cumprir, sujeitar-se às autoridades, pagar seus impostos, ser sempre verazes, confiar em Deus, amar seu próximo, ajudar, compartilhar com os necessitados, chorar com os que choram, alegrar-se com os que riem, ser um com os irmãos, devolver bem por mal, sofrer as injustiças, dar graças sempre por tudo, vencer a tentação, viver no gozo do Senhor, orar sem cessar, dar testemunho de Jesus Cristo, ganhar outros para Cristo, fazer discípulos, pôr seu dinheiro e seus bens a serviço dos irmãos, e sobre todas as coisas, amar a Deus com todo o seu ser. Na medida em que progredimos em qualidade, progrediremos em unidade. Porque a unidade é fruto da qualidade, assim como a divisão é evidência de imaturidade e carnalidade (1 Coríntios 3:1-4). Os filhos de Deus como irmãos que somos, devemos formar uma só família aqui na terra, a família de Deus.

Unicamente assim devolveremos ao Evangelho sua plena credibilidade diante do mundo. “...Que todos sejam um...para que o mundo creia...” (Jo 17:21).


C) - A VISÃO DA IGREJA É DERIVADA DA VISÃO QUE SE TEM DE DEUS

QUALIDADE eqüivale a SANTIDADE.
Por que santidade? Porque Deus é santo.
Por que unidade? Porque Deus é um.
Porque quantidade? Porque Deus é grande e é AMOR.
A visão vem por revelação: Ef 1:16-18; 3:1-6.



D) - TRÊS ASPECTOS DA IGREJA

FAMÍLIA: dimensão horizontal e eterna (Ef 2:19; 3:15) Somos uma família, uma congregação.
TEMPLO: dimensão vertical e eterna (Ef 2:20-22) Somos um templo ou vamos ao templo?
CORPO: dimensão funcional e temporal (Ef 1:22,23; 4:12-16) Funcionamos como um corpo?

Como CORPO devemos funcionar para edificar a igreja em sua dupla dimensão eterna FAMÍLIA e TEMPLO.
CONCLUSÃO: Tenho a visão ou um conceito da visão?

A visão produzirá em mim:
TRANSFORMAÇÃO = viver a visão
PAIXÃO = arder pela visão
COMPROMISSO = viver para a visão
SACRIFÍCIO = morrer pela visão


2 - ORAÇÃO

Este é o segundo ingrediente indispensável para a obra de Deus.
- Jesus tinha VISÃO ao iniciar seu ministério, mas a primeira coisa que fez depois de ser batizado e ungido pelo Espírito Santo no Jordão foi ir ao deserto para ORAR por quarenta dias. Orar e jejuar.
- Cada manhã iniciava o dia orando (Mc 1:35)
- Às vezes passava a noite orando (Lc 6:12)
Por que orava se era filho de Deus?

- POR QUE DEVEMOS ORAR ?
1- Porque somos absolutamente incapazes de realizar a visão (Qualidade, unidade e quantidade).
2- Porque Deus é o único poderoso e capaz de edificar tal igreja (Ef 3:20)
3- Porque Deus o fará tão somente se o pedimos em oração. (Mt 18:18-19)

- COMO DEVEMOS ORAR ?
A sós, em lugar e tempo específico.
Orar sem cessar (1 Ts 5:17; Ef 6:18).
3- Entre dois ou três irmãos (Mt 18:19-20; At 3:1)
4- Com um grupo pequeno (At 12:12).
5- Com toda a congregação (At 4:24)

- O QUE DEVEMOS PEDIR?
1- A intercessão principal deve ser pela realização do propósito eterno de Deus.
2- Devemos fazer petições gerais e específicas, e persistir até ver seu cumprimento.
3- Temas de intercessão em várias passagens bíblicas:
> Jo 17 - Santidade, unidade e quantidade.
> Mt 6:9-13 - A extensão do Reino, necessidades materiais, confissão e proteção do mal.
> Mt 9:38 - Envio de obreiros.
> 1 Tm 2:1-4 - Pelas autoridades e por todos os homens.
> Ef 1:16-19 - Por espírito de sabedoria e de revelação.
> Ef 3:14-21 - Para que sejamos cheios de toda a plenitude de Deus.
> Ef 6:18-20 - Por intrepidez e graça na evangelização.
> At 4:29-31 - Para que haja cooperação entre a igreja e o Senhor.

Em nosso meio, em termos gerais, se tem experimentado como igreja mais adoração que intercessão; Deus quer levar-nos para a intercessão sem enfraquecer a adoração.

3 - RELACIONAMENTOS FIRMES

A terceira coisa que Jesus fez ao iniciar seu ministério foi construir relacionamentos firmes com doze discípulos. Para isso assumiu a responsabilidade de estar com os mesmos para formar e ensinar com o seu exemplo e sua palavra, e eles fizeram o compromisso de sujeitar-se ao Senhor e ser seus discípulos.
A obra de Deus se faz com base em relacionamentos firmes, os quais significam:
1-Relacionamentos pessoais definidos e,
2-Relacionamentos comprometidos.

A) - OS RELACIONAMENTOS FIRMES FUNCIONAM EM TRÊS NÍVEIS:
- Com pessoas mais experientes (em sujeição e compromisso).
- Com iguais (em sujeição mútua) 2 Tm 2.2.
- Com mais novos no Evangelho (em responsabilidade) Ef 5:21; 1 Pd 5:5

B) - DIFERENTES RELACIONAMENTOS:

- Sujeição mútua entre apóstolos.
- Pastores sob a cobertura de apóstolos e profetas.
- Evangelistas sob a cobertura de apóstolos.
- Pastores sujeitos entre si.
- Diáconos sujeitos a pastores e sujeitos entre si.
- Líderes de grupos sujeitos a pastores e diáconos e sujeitos entre si.
- Discípulos sujeitos a seus discipuladores

> É IMPORTANTE QUE CADA IRMÃO TENHA UM OU DOIS IGUAIS EM SUJEIÇÃO MÚTUA COM OS QUAIS FORME UMA EQUIPE.
> Todos os membros do corpo devem ter relacionamentos firmes com irmãos mais velhos, com iguais e com mais novos.
> Todo o corpo bem ajustado e unido entre si por todas as juntas (Ef 4:16; Cl 2:19).

C) - A BASE DE NOSSOS RELACIONAMENTOS:

A base de nossas relações tanto com irmãos mais experientes, como com iguais, como ainda com os mais novos deve ter como base a atitude do Senhor Jesus descrita em Filipenses 2:2-8.
“... completai o meu gozo, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa; nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou‑se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando‑se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou‑se a si mesmo, tornando‑se obediente até a morte, e morte de cruz”.

Atitude de unidade - v. 2 = ser um com o irmão
Atitude de sujeição - v. 7 = Jesus se sujeitou ao Pai mesmo sendo igual.
Atitude de servo, não de senhor - v. 7
Atitude de humildade - v. 3,8
Atitude de amor sacrificial e não de egoísmo - v. 4,8

Somente com base no ESPÍRITO DE CRISTO em nós é possível construir relacionamentos para chegar à verdadeira unidade do corpo.



4 - ESTRATÉGIA

Em Ef. 4:7-16 está apresentada a estratégia de Deus para a edificação da VISÃO:
Aqui a figura dominante é a igreja como CORPO, sua dimensão funcional.
Cristo é a CABEÇA e cada filho de Deus é um MEMBRO ou uma parte do corpo.
OBJETIVO DA CABEÇA: a edificação do Corpo. Esse objetivo inclui as três características de qualidade, unidade e quantidade.
PLANO DA CABEÇA: usar, para edificação do Corpo, a TODOS os membros.

A) - FUNÇÃO DA CABEÇA

1 - Governar o corpo - cada membro;
2 - Dar vida ao corpo - a cada membro até enchê-lo todo (Ef 1:23; 3:19; 4:10);
3 - Dar crescimento ao corpo - a cada membro (Ef 4:15-16);
4 - Dar dons - dotar de graça (habilidade) a cada membro p/ sua função (Ef 4:7-8).
5 - Constituir a uns como apóstolos, outros como profetas, a outros como evangelistas, outros como pastores e mestres (A. P. E. P-M). Tudo isso é função da CABEÇA e não nossa função.

B) - FUNÇÃO DOS APÓSTOLOS, PROFETAS, EVANGELISTAS, PASTORES E MESTRES

- O objetivo desses quatro ministérios é o mesmo que o de Cristo: a edificação do corpo.
- O plano deles é o mesmo que o de Cristo: usar a todos os membros do corpo
- A função deles está indicada no verso 12: “...a fim de APERFEIÇOAR AOS SANTOS para a obra do ministério, PARA a edificação do corpo de Cristo...” - Soc. Bíblica 1960; “...Capacitar aos santos...” - Bíblia das Américas;
“...Equipar aos santos...” - New American Version;
“...Reto ordenamento dos santos...” - Bíblia de Jerusalém;

No grego se diz “...para KATARTISMOS DOS SANTOS...”.
KATARTIZO, segundo o dicionário grego-espanhol significa: consertar, ordenar, aparelhar, guarnecer, equipar, prover de, preparar, formar um todo, governar, dirigir, restaurar, reparar, colocar em seu lugar.
KATARTISMOS é um substantivo, por isso a antiga versão Reina e Valera traduz: “...para perfeição dos santos...”, e vem do verbo AKATARTIZÖ.

As passagens no N T onde se usa este verbo têm sido traduzidas de diversas maneiras e nos dão uma compreensão mais ampla de seu rico significado (Versão 1960 S B) :

Mt. 4:21 - remendavam suas redes - consertavam, limpavam, preparavam suas redes e a deixavam prontas para serem usadas no dia seguinte (Mc. 1:19);
Mt. 21:16 - aperfeiçoaste o louvor;
Lc. 6:40 - o que for aperfeiçoado será como seu mestre;
Rm. 9:22 - vasos preparados para ira;
1 Co 1:10 - perfeitamente unidos;
2 Co 13:11 - aperfeiçoa-os;
Gl 6:1 - restaurai-o;
1 Ts 3:10 - completemos o que falta de vossa fé;
Hb 10:5 - me preparaste corpo;
Hb 11:3 - foi constituído o universo ( formar um todo ordenado e harmônico);
Hb 13:21 - os faça aptos para toda boa obra (os capacite);
1 Pd 5:10 - aperfeiçoa-os.

No grego clássico do primeiro século, segundo Barclay, katartismos, ou seu verbo katartizö, tem dois significados:
1 - Ajustar, por em ordem, restaurar. Exemplo:
1.1 - Pacificar uma cidade que está desgarrada ou em facção.
1.2 - Colocar um membro deslocado em seu lugar.
1.3 - Desenvolver certas partes do corpo mediante exercício (treinamento)

2 - Equipar um homem ou habilitar para um propósito determinado. Exemplo:
2.1 - Habilitação, equipamento de um barco, deixá-lo pronto para zarpar.
2.2 - Equipar, armar e formar um exército e prepará-lo para que entre em ação.

RESUMINDO:
A função dos A.P.E.P-M como equipe ministerial é para o KATARTISMOS DO SANTOS:
-> para a obra do ministério
-> para edificação do corpo
- Aperfeiçoar, formar, reparar, restaurar os santos;
- Preparar, capacitar, treinar, equipar os santos;
- Ordenar, relacionar, colocar cada membro no seu lugar, formar um todo organizado, organizar os santos. Para que entrem em ação e desempenhem seu ministério na edificação do corpo de Cristo, de modo que na estratégia de Deus toda a Igreja é um seminário, cada irmão é um seminarista e os A.P.E.P-M têm como função primordial aperfeiçoar, capacitar, treinar, relacionar os santos, para que cada um cumpra seu ministério na edificação do corpo.


C) - FUNÇÃO DOS MEMBROS DO CORPO (Ef 4)

- Cada membro é importante e tem uma função;
- Cada membro tem recebido de Cristo um dom - v. 7;
- Cada membro é um obreiro do Senhor - v. 13;
- Cada membro tem o ministério de trabalhar na edificação do corpo (Ganhar, discipular, relacionar);
- Cada membro deve ser formado no corpo com relações firmes para desempenhar seu ministério.

> OBJETIVO DE TODOS OS MEMBROS: v. 13
1 - Chegar à unidade da fé.
2 - Chegar à medida da estatura de Cristo.
> O PROGRAMA DE CRISTO PARA TODOS OS MEMBROS: v. 15
1 – Crescer em tudo em Cristo.
(Em qualidade, em unidade e quantidade)
> O PROCESSO DE CRESCIMENTO: v. 15
1 – Seguindo a verdade em amor.
> AS CONDIÇÕES PARA O CRESCIMENTO:
1- Sujeição à Cabeça, aos A.P.E.P-M e ao corpo
2- Funcionamento de cada membro - v.16

“...Cristo, de quem todo corpo (estando bem ajustado e unido pela coesão que as conjunturas provêm) conforme o funcionamento adequado de cada um produz o crescimento do corpo para sua própria edificação “ (Ef 4:16 Bíblia das Américas)



5 - AÇÃO

O ingrediente decisivo para realizar a obra é a ação. Se não há uma ação, não há obra. A visão, a oração, os relacionamentos e a estratégia são para que caminhemos para a ação. “...Jesus começou a fazer e a ensinar ...” (At 1:1).

A) - FUNDAMENTO E MODELO PARA A AÇÃO: JESUS CRISTO

Da ação do ministério terreno de Cristo nasce o modelo de nossa atuação. Cristo não somente é o nosso modelo quanto à qualidade de vida, como também no seu OPERAR PARA DEUS.
Hoje a ação do Corpo de Cristo, a Igreja, deve corresponder à ação de Jesus quando esteve com o seu corpo aqui na terra.
Jesus tinha o ministério de apóstolo, profeta, evangelista, pastor-mestre e diácono (servidor).
Ele orava, jejuava, pregava, expulsava demônios, fazia milagres, ajudava aos pobres, alimentava os famintos, abençoava e amava às crianças, era amigo dos pecadores, perdoava os pecados, consolava os que sofriam, repreendia aos hipócritas, percorria cidades e povoados, evangelizava as multidões, evangelizava os indivíduos, entrava nos lares.
Seu ministério era múltiplo em meio às muitas necessidades da humanidade. Mas em toda essa intensiva ação, o aspecto central de seu ministério era DISCIPULAR a doze homens. A esses chamou e a eles se dedicou, formou, capacitou, equipou, treinou, (katartismos), e enviou para que fizessem o que ele mesmo fez.
Seu método formativo era duplo: o EXEMPLO de sua ação e a INSTRUÇÃO. Sarando, ele ensinava a sarar; pregando, ele ensinava a pregar; etc. E depois lhes ensinava e instruía à parte. Os discípulos eram formados VENDO a Jesus e OUVINDO os seus ensinamentos.
Hoje as circunstâncias são outras, mas as necessidades são as mesmas. O Corpo de Cristo na atualidade, mediante todos os seus membros, deve realizar o mesmo ministério multi-facetado que Cristo realizou. Para isso o Senhor reparte suas graças e dons a todos os membros do Corpo, facultando-lhes a ação. Mas, igual a Cristo, o CENTRO do ministério dos santos deve ser o FAZER DISCÍPULOS, pois isto é fundamental para a edificação do Corpo de Cristo.

B) - A SÍNTESE DA AÇÃO: MATEUS 28:18-20

Há três verbos que sintetizam a ação que a igreja deve desenvolver desde o Pentecostes até a segunda vinda de Cristo:

- PREGAR - (a todos)
- BATIZAR - (aos que crêem)
- ENSINAR - (aos que se batizam)

Estas três palavras resumem a expressão “...FAZER DISCÍPULOS...”
--> A ponta de lança da ação é a evangelização (quantidade). O que segue é o DISCIPULADO que produzirá a qualidade e a unidade dos discípulos.
--> Para ensinar é necessário um PROGRAMA DEFINIDO DE ENSINAMENTO. “...ensinando-lhes que guardem todas as coisas que vos tenho mandado...” Exemplo: Porta, Caminho e Meta.

C) - MARCO E ESTRUTURA PARA A AÇÃO: A IGREJA NUCLEANDO-SE NOS LARES
O grupo do lar, ou célula, ou grupo caseiro, não é um ente em si mesmo, nem mais um departamento da Igreja. Não há nas Escrituras a menção de grupos nas casas. Simplesmente o Novo Testamento menciona que a Igreja se reunia nas casas. A essa expressão às vezes se chama de Igreja na casa (Rm 16:5, 10, 11; Cl 4:15).

-> O QUE É UM GRUPO NA CASA?
É uma pequena comunidade de discípulos relacionados estreitamente sob uma condução adequada para desenvolver-se (em qualidade, unidade e quantidade), mediante a oração, o doutrinamento, a comunhão, no serviço mútuo, o exercício dos dons, e no ganhar e formar novos discípulos.
O grupo é uma parte da igreja da cidade e está sob a supervisão e direção do ministério pastoral.

-> O QUE É ESSENCIAL EM UM GRUPO ?
A ordem de Jesus não foi: - ide e fazei grupos caseiros! Mas, “...ide e fazei discípulos...”. O essencial em um grupo do lar é o discipulado. Se um grupo desses não tem o discipulado, tem perdido a sua essência, e se reduz a uma simples reunião caseira.
Discipulado significa que existem discipuladores, discípulos, juntas, compromisso, sujeição, formação de vidas, formação de obreiros, serviço, ação, evangelização, multiplicação, crescimento, etc.

-> QUAIS OS OBJETIVOS PARA O GRUPO NO LAR ?
- Integrar a cada um mediante:
O amor e a comunhão dos membros de todo o grupo;
O companheirismo estreito de dois ou três condiscípulos;
O relacionamento com seu discipulador.
- Formar a cada um:
Pelo AMBIENTE de fé, gozo, santidade, amor, oração, serviço, etc.
Pelo EXEMPLO de vida e obra.
Pelo ensino da Palavra de Deus. O propósito do ensino é que conheçam a Palavra, vivam-na e saibam ENSINAR a outros.

- Enviar a cada um:
Criando CONSCIÊNCIA de que são obreiros;
Criando CIRCUNSTÂNCIA (levá-los conosco a fazer a obra, dar tarefas);
Delegando responsabilidade.

-> NÍVEIS DE FUNCIONAMENTO E ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO
Discípulo novo (filhinhos) 1 Jo 2:12-14
Discípulo fiel (jovem)
Discipulador (pai)
Responsável pelo grupo
Na estrutura da congregação segue:
Diáconos
Pastores-mestres
Apóstolos, profetas e evangelistas

É importante que em cada grupo caseiro o responsável ou responsáveis formem com os discipuladores o núcleo do grupo para levar juntos a carga e o desenvolvimento dos discípulos.

-> EXERCÍCIO DE AUTORIDADE
- Sobre a vida e a conduta dos irmãos devemos distinguir:
Mandatos do Senhor - obediência comprometida
Conselho pastoral - obediência voluntária (Hb 13:17)
Conselho pessoal ou sugestão - obediência opcional
Opiniões - liberdade de consciência - Rm 14:1-6
- Sobre a área funcional da igreja:
Os pastores estão em função de governo e a eles devemos sujeição e obediência. (1 Tm 5:17).

-> ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE UM GRUPO CASEIRO
- Quantos discípulos verdadeiros existem no grupo, segundo Lucas 14:26-33?
- Quantos estão sendo discipulados?
- Quantos sabem fazer discípulos? Isto é, sabem pregar com clareza o Evangelho do Reino, guiar aos novos pela Porta e DISCIPULÁ-LOS?
- Quantos estão ocupados nessa obra?
- O que se está fazendo para melhorar a situação?

D) - DINÂMICA PARA A MULTIPLICAÇÃO

É responsabilidade de cada grupo preparar a todos os seus integrantes e envolvê-los na ação evangelizadora.
Há muitas formas de evangelizar. A partir do grupo caseiro sugerimos quatro maneiras:

Sair na rua para testificar aos transeuntes com todo o grupo. Isto libera e aviva os irmãos.
Tomar várias ruas de um bairro e visitar casa por casa.
Fazer reuniões evangelísticas em casa de discípulos novos, convidando vizinhos, amigos e parentes.
Criar empreitadas: cada membro do grupo elabora um lista de umas vinte ou
trinta pessoas inconversas ou afastadas, pelas quais se propõe a orar e visitar, e depois de um determinado tempo levar a Palavra.

-> EXTENSÃO A OUTRAS REGIÕES

Dois ou três grupos caseiros se unem para abrir uma nova frente de trabalho em bairros distantes ou uma localidade vizinha. (Mc 1:28; Lc 8:1)










Ide e fazei discípulos de todas as nações .... eu te constituí como luz para os gentios ...vós sois a luz do mundo ...


( Jamê Nobre)

















22 de nov de 2009

AMIGOS DO BLOG


A paz do Senhor a todos!


Por causa de problemas técnicos, não estava sendo possível fazer nenhuma postagem no blog, mas agora que o problema foi resolvido, voltarei a colocar mensagens abençoadas para vocês.


Fiquem com Deus!

28 de out de 2009

DESPERTAMENTO


Quem, com certeza, vai vencer?


Vi em Davi seis características de quem está preparado para vencer. A vida proporciona oportunidades de grandes vitórias e realizações, mas a maioria de nós não estamos prontos, aptos, preparados. Está preparado para vencer quem:

1) fica constrangido quando ninguém mais fica encabulado: Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?

2) fala o que ninguém tem coragem de abrir a boca para dizer: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu.

3) enxerga o que ninguém mais vê: saberá toda esta congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão.

4) ousa onde ninguém cogita em se arriscar: tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforge de pastor, que trazia, a saber, no surrão, e lançou mão da sua funda; e foi aproximando-se do filisteu.

5) crê em Quem ninguém mais deposita a mínima confiança: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado.

6) faz o que nem o mais valente homem faria: sucedeu que, levantando-se o filisteu, e indo encontrar-se com Davi, apressou-se Davi, e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu.

Como proceder para ser vencedor

PRIMEIRO você deve conhecer quem você é?

Se você recebeu Jesus então você é filho de Deus, veja o que a Palavra de Deus diz em João 1:12 e Romanos 8:12-17, especialmente nos versos 14 e 16. Ora se tenho a convicção de ser filho de Deus então sou herdeiro de toda vitória de Jesus na cruz.
2Co 5:17.

SEGUNDO guarde seu coração, como?

Vigiando e orando em todo tempo, veja o que a palavra de Deus fala sobre nosso coração:
Mc 7: 20 –23 dele procede tudo;
O coração é o centro do intelecto: Dt 8:5; I Sm 1:12,13; Mc 2:8; Ef 5:19; Rm 10:9);
O coração é o centro da emoções: (EX 4:14; Sl 27;4; Jr 15:16; Mt 11:29; Jo 14:1);
O coração é o centro da vontade humana:(2Cr 6:7; Sl 21:1-3; Lc 24:32; Prov 4:23).

NÃO PERMITA QUE O SEU CORAÇÃO ENDUREÇA, ESTEJA ATENTO

LEIA: Ex 7:3; Hb 3:8-12; Rm 1:24,26,28; 2Ts 2:11,12.

O que é coração endurecido?
È a postura indiferente, inflexivel, colérica, insensivel, rebelde e independente que governa o nosso coração. A pessoa de coração endurecido se distancia de Deus, não lhe dá abertura e perde a sensibilidade para as coisas espirituais e também para com os outros.

Se seu coração esta endurecido(pecaminoso) DÊ LUGAR AO ESPÌRITO SANTO, ele te dará um coração REGENERADO – LEIA (Rm 10:9; Sl 119:34,69,112; Mt 22:37-40 Mt 23:13-28; Lc 21:1-4; Ef 5:19, Cl 3:16; Rm 6:23; 2Co 5:17; Hb 4:12).

TERCEIRO viva de acordo com a Palavra de Deus, pois ele é viva e eficaz, tome posse das seguintes verdades:

O livro de Efésios tem a receita certa de Deus para nós:
Ef 1 – Somos resgatados e adquiridos de novo, logo pertencemos ao Senhor, pois fomos escolhidos para sermos santos, segundo a sua palavra.
Ef 2 – o preço da vitória está na CRUZ DO CALVÀRIO, pois fomos salvos pela GRAÇA de Deus mediante a FÈ em CRISTO JESUS.
Ef 3 a 5 – Como devemos andar, o que deixar? LEIA.
Ef 6 - devemos usar a armadura de DEUS, quais são elas:

- VERDADE (cingindo-vos da);
- JUSTIÇA (vestindo-se da couraça da );
- PREPARAÇÃO DO EVANGELHO (devemos sempre estarmos calcados do evangelho);
- ESCUDO DA FÉ (embraçando do);
- PALAVRA DE DEUS (ela é o capacete da salvação e a espada do Espirito).

Mantenha puro o seu coração
CORAÇÃO

“SOBRE TUDO O QU SE DEVE GUARDAR, GUARDA O TEU CORAÇÃO, PORQUE DELE PROCEDEM AS FONTES DA VIDA”. (PROV.4:23)

- Mais do que a nossa família, ministério, amigos, trabalho, bens e outras coisas, mais do que tudo isto, temos que guardar o nosso coração, porque é a partir do que se encontra dentro dele, que o nosso relacionamento com Deus vai ser estabelecido.

- O diabo sabe disto, e procura manchar o coração do homem com mágoas, tristezas, traumas, ressentimentos, amargura e toda a sorte de sentimentos ruins, desde a sua infância.

- Uma criança ferida em seu coração se tornará um adulto com dificuldades de relacionamento com seus semelhantes e principalmente, terá dificuldades de se relacionar com Deus.

- Uma das estratégias malignas para tornar corações impuros tem sido a inversão de valores. Jesus diz em Mat.6:21=> “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”, mas Satanás e o reino das trevas tem trabalhado para gerar tesouros ou valores invertidos no coração do homem tais como:

a) O valor de um homem hoje é medido pela quantidade de dinheiro que ele possui, não pelo seu caráter. O tesouro é o dinheiro.

b) O valor de uma mulher é medido pela forma física do seu corpo, portanto vale tudo para ficar atraente. O tesouro está na satisfação da vaidade.

c)Não importa com quem estamos nos envolvendo sexualmente(casado(a), solteiro(a)) o que importa é satisfazer o desejo sexual de estar com aquela pessoa. O tesouro é o prazer acima de todas as coisas.

- O diabo sabe que o homem é capaz de dar a vida pelo seu tesouro, e por isto, tem distorcido os valores na sociedade. Por conseguência vemos homens, mulheres, jovens e crianças morrerem pelos motivos mais fúteis possíveis, como a anorexia.

- Para vencer todas estas coisas é necessário ter um coração puro e isto é escolha nossa.

- É necessário renunciar todo o tipo de inversão de sentimentos proposto pelo mundo, e renunciar todos os sentimentos ruins que cresceram em nosso coração, por causa de:

- Injustiças familiares=>Problemas com pai, mãe, irmãos, etc.
- Mentiras que inventaram contra nós e por causa delas perdemos algo de valor, como uma amizade.
- Agressão física ou verbal de pessoas do nosso convívio, que nos marcaram.
- Traição de cônjuges, amigos, namorados, pais, irmãos, etc.
- Humilhação sofrida por causa de um erro que cometemos, ou por causa de algo que não fizemos, mas fomos acusados.
- Humilhação sofrida por causa de preconceito: Cor de pele, religião, lugar de origem(nordeste, Paraguai, etc), classe social, etc.

- Somos atacados todos os dias por Satanás. Ele quer a qualquer custo colocar sentimentos ruins para manchar o nosso coração. Estamos sujeitos a toda a sorte de sentimentos, tanto os bons como os maus. É nossa responsabilidade decidir o que fazer com os sentimentos que surgem quando recebemos uma proposta ilícita como uma cantada, ou um suborno, ou quando somos injustiçados e sofremos algum tipo de agressão.

- O foco do problema não é ter estes sentimentos, mais o foco é o que você vai fazer com eles.

1) Dar vazão e reagir.
2) Guardar e se contaminar.
3)Entregar a Deus e manter seu coração puro.

- Um fator muito importante para manter o coração puro é o perdão. Quatro coisas que Deus diz sobre o perdão.

a) O não perdoar para Deus é imperdoável(Mat.6:14-15). Quando você diz “Eu não perdôo!!!” Deus diz a mesma coisa para você.(Mat7:1,2)

b) O perdão de Deus é incondicional, o seu deve ser também(Luc.17:3-6)

c) O não perdoar vai contra a natureza divina(1ª João1:9) e ir contra a natureza divina significa viver debaixo de influência maligna.

d) Ele pagou um alto preço para nos perdoar e espera que façamos o mesmo(1ªCor.15:3). Ele sofreu humilhação e morreu torturado só para nos perdoar. O nosso perdão custou a vida de Jesus. Se queremos ter um coração perdoador, temos que morrer para nós mesmos.

- É importante saber também que o orgulho faz-nos rejeitar o governo de Deus, e resistir ao que Deus está ordenando na sua palavra é orgulho.

- A incredulidade anula o poder de Deus em nós, portanto é necessário pedir a Deus fé para que possamos resistir as adversidades, pois Satanás se utiliza delas para nos fazer duvidar do caráter e das promessas de Deus, minando assim a nossa fé.

- Não podemos dar lugar ao medo, pois se tivermos medo do nosso inimigo, ele achará vantagem sobre nós.

- E satanás sabe que se o nosso coração estiver impuro, ele alcançará vantagens sobre nós, por isso é necessário um confessar constante dos nossos sentimentos ao Senhor, para que o nosso coração possa ser limpo pelo Espírito Santo todos os dias, e assim nós possamos Ver a Deus, pois está escrito em Mat.5:8=> “Bem aventurados os limpos de coração. Porque verão a Deus”.

( Observação: Não conheço o autor dessa mensagem. Se alguém souber, por favor coloque um comentário para que eu possa publicar ou, se preferir,retirar essa postagem.)

21 de out de 2009

INFIDELIDADE CONJUGAL


O lar cristão deve ser a continuação da igreja, porque, num
sentido mais profundo, é a igreja também. O relacionamento
entre os membros da família deve ser tão santo em casa, quanto
na igreja. Dentre as características de um bom
relacionamento familiar, destacamos a fidelidade. Esta é
indispensável para que se mantenham inabaláveis os alicerces
do lar. Os pais precisam ser fiéis entre si e aos filhos e
estes aos pais, todos fiéis uns aos outros.

João, evangelista e presbítero, dirigindo sua terceira epístola
a Gaio, diz: "Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes
para com os irmãos, e para com os estranhos" marcante dos
verdadeiros cristãos. O oposto disso, ou seja, a
infidelidade, é um terrível inimigo, que tem destruído
inteiramente muitos lares e famílias. Neste aspecto, avulta
com maior gravidade, a conjugal: o esposo, o pai de família,
sendo infiel à es-posa e vice-versa.

A infidelidade é um mal que não é de hoje, mas que, nos tempos
atuais, tem-se tornado muito comum nos lares sem Cristo, e
também tem atingido muitos lares cristãos. A infidelidade
conjugal não passa de um instrumento diabólico para a
destruição e desagregação da família. A Bíblia diz que o
marido deve amar a sua esposa da mesma forma que Cristo ama
a Igreja. Ora, o Senhor ama a Igreja com sinceridade, e
sobretudo, com fidelidade. Esta fidelidade é tão grande,
que "se formos infiéis, Ele permanece fiel: não pode negar-
se a si mesmo" (2 Tm 2.1.'3).

Mas Satanás diz ao esposo: "ora, não é nada demais; procura unir-
te a outra mulher: a tua já não te agrada. No fim, tudo dará
certo. - Os teus amigos não possuem outras mulheres?". Com
isso, o inimigo procura desfazer o plano de Deus para a vida
conjugal. E muitos homens, mesmo cristãos, têm cedido a essa
tentação diabólica, cometendo adultério e prostituição, e
desprezando o lar, a esposa, os filhos e seu próprio nome e,
o que é pior: desprezando a Deus. A infidelidade, inimigo
cruel, não acontece de repente.

É necessário estar alerta para as ciladas do Inimigo. MuItas
vezes, a causa do adultério, ou melhor, dos fatores que
contribuem para a infidelidade, está sendo fomentada dentro
do próprio lar: Com o passar dos anos, o esposo e a esposa
deixam de cultivar o amor verdadeiro. Aquelas expressões de
carinho dos primeiros tempos ficam esquecidas. O afeto vai
desaparecendo entre os dois. No entanto, a necessidade de
afeto continua a existir em cada um.É a chamada carência
afetiva, que leva muitos a se decepcio-narem com o casamento.

As lutas do dia-a-dia também tendem a desfazer o clima amoroso
entre o casal, se não forem adotadas providên-cias para
cultivá-lo. O lar, em muitos casos, passa a ser uma espécie
de pensão, na qual o marido é o hóspede número um. Proceder
fielmente em tudo é uma característica marcante dos
verdadeiros cristãos. O oposto disso, ou seja, a
infidelidade, é um terrível inimigo, que tem destruído in-
teiramente muitos lares e famílias. Neste aspecto, avulta
com maior gravidade, a infidelidade conjugal: o esposo, o
pai de família, sendo infiel à esposa e vice-versa.

Então Satanás, que não dorme, entra em ação. Começa a falar ao
coração que é hora de experimentar um caso de amor, um
romance, mesmo passageiro. O cônjuge, mesmo sendo cristão,
diante de tal sedução, entra em conflito consigo mesmo. A
mente começa a estampar a crise de afeto que existe no lar,
a falta de carinho, a indiferença do outro cônjuge. A
consciência bate forte, lembrando a condição de cristão,
lavado e remido no san-gue de Jesus. Nas primeiras
investidas, o servo de Deus pensa, recua, vence. Mas, dia
após dia, as coisas se agra-vam. A voz do Inimigo soa mais
forte e sedutora; a concupiscência se aquece. Vem a queda, o
ato, o pecado, a morte espiritual.

Depois, entre desespero e reações evidentes, o coração explode.
O lar, que antes estava ruim, fica pior. A culpa
não dá paz. Os conflitos aumentam. Só há dois caminhos:
abandonar o lar, a esposa, os filhos e viver na nova "pen-
são" ou continuar enganando a todos (mas não a Deus). Em
qualquer caso, todos sofrem. O cônjuge infiel, o cônjuge
fiel, os filhos, a família, a igreja. Para evitar esse tipo
de contribuição à infidelidade, é necessário que o casal se
mantenha debaixo da orientação da Palavra de Deus. O esposo,
amando sua esposa de todo o coração, como Cristo à Igreja. A
esposa, amando o esposo da mesma forma e lhe sendo submissa pelo amor.

Em termos práticos, é necessário cultivar, tratar, regar e
cuidar da planta do amor, para que as ervas daninhas da
infideli-dade não germinem no coração de um dos cônjuges. É
bom, que os cristãos casados saibam que a santidade do
cristianismo não faz ninguém deixar de ser humano. Nesta
vida, precisamos de amor, de alegria, de paz, de carinho, de
afeto. O leito conjugal precisa ser bem aproveitado, e a
união sexual, legítima entre os asados, deve continuar sendo
fa-tor de integração, não apenas física, afetiva, mas também espiritual.
Deus se agrada da união entre os casados, espe-cialmente entre
cristãos: "Seja por todos venerado o matrimônio, e o leito
sem mácula" (Hb 1.3.4), diz a Palavra. Reconhecemos que há
muita infidelidade que começa por mera tentação, para o que
o outro cônjuge, às vezes, em nada contribui. Mas havemos de
reconhecer que o casal bem unido em torno do Senhor Jesus
terá condições de vencer o Inimigo.

O Senhor Deus, repreendendo Israel, dizia que não aceitava mais
suas ofertas. - Por quê? - "Porque o Senhor foi testemunha
entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu FOSTE
DESLEAL, sendo ela a tua companheira e a mulher do teu
concerto" (Ml 2.14). Esse trecho nos mos-tra que Deus
rejeita aquele que é infiel à sua esposa, e o rejeita não
aceitando suas ofertas, seus sacrifícios. Até as orações não
são recebidas por Deus, quando o marido não coabita com sua
mulher com entendimento, e vice-versa.

Aqui desejamos relembrar algumas recomendações da Bíblia quanto
à infidelidade. Paulo doutrinou bastante sobre o assunto. A
igreja em Corinto disse: "Não sabeis vós que sois o templo
de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém
destruir o templo de Deus, Deus o des-truirá: porque o
templo de Deus, que sois vós, é santo" (1 Co .3.16,17). O
homem, ou a mulher cristã, deve tomar em consideração esta
advertência solene e grave da Bíblia: Se alguém destruir o
seu próprio corpo, pelo pecado, Deus o destruirá. Mais
clara, ainda, é a exortação, quando lemos o trecho de 1
Coríntios 6.18-20: "Fugi da prostituição. Todo pecado que o
homem comete é fora do corpo, mas o que se prosti-tui peca
contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que O NOSSO CORPO
E TEMPLO DO ESPIRITO SANTO, que habita em vós, proveniente
de Deus e que não sois de vos mesmos? Porque fostes
comprados por bom preço; glorificai pois a Deus NO VOSSO
CORPO, e no vosso espíri-to, os quais pertencem a Deus".

Vemos, então, que a infidelidade conjugal, geralmente tornada em
adultério, é considerada o maior pecado contra o corpo. Isto
porque o corpo é "templo de Deus", "templo do Espírito
Santo. Havendo o verdadeiro amor, não haverá frieza sexual.
Haverá interesse, atração de um pelo outro; haverá prazer no
ato sexual. É necessário evitar a infidelidade sob qualquer
forma ou pretexto.


Pr. Elinaldo Renovato de Lima

16 de out de 2009

PROPÓSITO DE DEUS


CONHECENDO O PROPÓSITO DE DEUS PARA NÓS

"Melhor é o fim das coisas
do que o princípio delas.
Eclesiastes 7:8

Uma das coisas mais maravilhosas em nossas vidas é descobrirmos que há um propósito para vivermos. Mais maravilhoso ainda é descobrir que Deus idealizou isso para a nossa existência. Do lado oposto, há algo tão terrível quanto a morte. Você poderia me perguntar: O que é tão terrível assim? Uma vida sem propósito e sem destino. Uma vida assim não tem sentido para existir. Aquele sentido de finalidade e de desígnios divinos para si mesmo. Se você não descobrir o propósito de Deus e não entrar nele, com certeza, não conhece ainda o melhor de Deus para sua vida. Viver fora do propósito profético de Deus é puro desperdício, é depressivo.
Deus não criou nada ao acaso e não permitiu que você viesse à existência por acidente. Nos Salmos, Deus afirma que formou o nosso interior. Se enxergarmos o contexto, veremos que o que Deus diz é que estava presente no útero materno quando a sua mãe estava no processo de gestação da vida. Quando ela o gestava, Deus formava não apenas seu físico, seu exterior, Ele formava a sua personalidade, a sua identidade, o perfil que o caracteriza como pessoa única.
Quando um homem morre e sua vida termina, o que é carne volta à terra, mas o espírito volta a Deus que o deu. Ele lhe deu seu espírito humano. Assim, eu e você não somos frutos do acaso. Somos mais do que o resultado da união física entre nossos pais.
A vontade de Deus é o Seu propósito profético. A Sua vontade é Seu desígnio eterno. Em relação a você, Deus possui um projeto único, um propósito profético. Você não veio a essa terra a passeio, não surgiu aqui por acaso, não é fruto do destino como algo impessoal, sem coração, sem rota. A palavra de Deus mostra que fomos formados particularmente, pessoalmente: "Tu formaste o meu interior" Sl. 139:13.
Irmão querido, quando começamos a conhecer os altos desígnios que Deus tem para nós, começamos a nos empolgar com a vida. Uma fé viva cheia de disposição toma conta da gente. Isso acontece porque não há nada que nos motive mais do que descobrir o porquê do nosso nascimento, o motivo de estarmos aqui. Isto é fantástico! Meu Deus, eu nasci para isto!
É como ser um peixe dentro d'água. Estar em harmonia com os desígnios do Altíssimo é estar em harmonia consigo próprio e com toda sua existência. Achar o lugar do propósito profético é encontrar harmonia.

O PROPÓSITO PROFÉTICO REQUEREU SEU NASCIMENTO

O propósito de Deus é maior do que você. Transcende as suas questiúnculas e antecede o seu próprio nascimento. Isto é assustador.
Já parou para pensar nisto?
Isto mesmo, o propósito profético de Deus antecedeu o seu próprio nascimento. No momento em que Deus chamava o profeta Jeremias disse: "Antes que eu te formasse no ventre materno eu te conheci, e antes que saísses da madre, te consagrei e te constituí profeta para as nações" Jr. 1:5.
O que Deus está dizendo aqui? Que me conheceu antes que eu fosse formado? Deus já me conhecia antes mesmo que eu existisse? As coisas de Deus são mais altas que as nossas, mais elevadas que o nosso raciocínio simplista. Mas, o mais forte é a parte final do versículo que afirma que antes mesmo do nascimento do profeta ele já fora constituído como tal. Incrível!
O propósito profético de Deus, Seus altos desígnios nasceram antes de mim. Compreende isso? Algo lindo pode ser entendido aqui: o propósito profético de Deus requereu seu nascimento. Que coisa fantástica! Deus pensou Consigo próprio: "por causa dos meus desígnios eu requererei a existência do Cláudio, da Maria, do Pedro... Por causa do meu propósito eles nascerão para cumprir isto. Antes que eu te formasse", diz Deus, "eu te constituí como um apóstolo, como um médico, como um empreendedor, como uma intercessora eficaz, como um líder de êxito. Tu serás um instrumento para proclamação da minha glória, para irradiar minha presença. Será alguém usado para despertar liderança, treinar líderes". Isso aconteceu e foi estabelecido antes do seu. nascimento.
Foi o propósito de Deus que requereu o seu nascimento, querido irmão e irmã.
Se formos definir propósito, diremos que é o objetivo, a função para a qual a sua vida foi concebida. O desígnio para o qual você foi desenhado. Um microfone, por exemplo, nasceu com tudo que precisa para captar sons e transmiti-los sob forma de impulsos elétricos para um amplificador. Ele tem dentro de si cada detalhe, cada componente eletrônico, tudo o que precisa para realizar a tarefa para a qual nasceu: captar sons e transmiti-los.
Se eu tomasse, ao invés de um microfone, um abridor de latas e tentasse usá-lo para captar e transmitir sons, o tal abridor de latas seria o objeto mais infeliz, frustrado e incompetente que se teria notícia. O fracasso, a derrota e a infelicidade tomariam conta das suas emoções. Ele não nasceu para ser microfone; ele nasceu para abrir latas. O conteúdo interior do abridor de latas o capacita a realizar bem o propósito para o qual nasceu, que não inclui captar sons. Mas se eu colocar o abridor de latas para abrir latas, ele será um objeto realizado porque encontrou o lugar do propósito para o qual ele existe. Você nasceu com todos os componentes, todos os traços, todas as inclinações para cumprir o propósito profético para o qual nasceu. Tudo que precisa já está dentro de você. Deus primeiro concebe o Seu propósito, depois Ele gera. Primeiro nasceu o propósito profético no coração de Deus,depois, para cumpri-lo, Ele chamou você à existência.
Quando Jeremias nasceu, ele já nasceu com todas as condições, com todo o coração, com toda a inclinação, com toda pré-disposição para ser um profeta. Ele já nasceu com todos aqueles componentes dentro de si. Se Jeremias fosse um músico ele seria frustrado, se fosse um pastor seria frustrado, se fosse empresário ou missionário, da mesma forma seria frustrado. Ele nasceu para ser um profeta de Deus.
Meu querido irmão, você já tem dentro de si tudo o que precisa para realizar os altos desígnios de Deus que vão encher sua vida de harmonia e senso de realização. Ele não é incoerente, Ele fabricou você, teceu você, o seu nascimento foi requerido e, finalmente, quando nasceu, você já veio à existência trazendo dentro de si tudo o que precisa para cumprir o propósito de Deus. Seu código genético espiritual já foi desenhado pelo Autor da Vida.

( Pr Marcelo de Oliveira Almeida - Livro: "A Unção e o Propósito Profético")

15 de out de 2009

DEUS NOS GUARDA


OS CRISTÃOS SÃO GUARDADOS AGORA E GLORIFICADOS NA ETERNIDADE

"Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis com alegria, perante a sua glória, ao único Deus, Salvador nosso, por Jesus Cristo, nosso Senhor, seja glória e majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, agora, e por todo o sempre. Amém. " (Judas 24-25).

No início de sua epístola, no versículo 5, Judas escreveu sobre faltas e falhas cometidas por pessoas muitos séculos antes. Primei¬ro foram os israelitas no Velho Testamento. Eles foram mantidos em escravidão no Egito. Lá, não tinham liberdade alguma e eram obrigados a fazer coisas quase impossíveis. Então Deus os libertou. Ele abriu um caminho para eles através do Mar Vermelho em terra seca. Eles atravessaram a salvo para o outro lado e então as águas retomaram o seu curso. Os egípcios, que os tinham tratado tão mal, afogaram-se todos. Que maravilhoso livramento para Moisés e o povo de Israel, os quais louvaram a Deus pelo milagre que Ele havia realizado.
Não é surpreendente o fato de que logo os israelitas tenham esquecido o maravilhoso milagre que Deus havia operado a favor deles no Mar Vermelho? Eles até mesmo quiseram voltar para o Egito, ontem tinham sofrido tanto! Criaram outros deuses e os adoraram. Muitos milhares de pessoas atravessaram o Mar Verme¬lho. Deus cuidou delas quando vagaram pelo deserto durante 40 anos. Entretanto, por terem sido desobedientes, todos eles morre¬ram antes de alcançar a terra prometida por Deus. Somente Calebe e Josué, dois homens de fé, chegaram a essa terra. Até Moisés e Aarão pecaram e não tiveram permissão para entrar na terra prometida.
Judas pensou sobre tudo isso, e então meditou a respeito de si próprio e dos outros crentes que conhecia. Tais reflexões devem tê-To deixado triste, porque todos os crentes são pecadores. Por que, então, ele estava feliz ao escrever estes versículos 24 e 25? Sentia--se feliz porque sabia que Deus levará aos céus com segurança todos os que Ele liberta da escravidão espiritual. Assim, Judas tinha que louvar a Deus e cantar: "Ora, aquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar...".
No versículo 6, Judas escreve sobre anjos. Não sabemos muito sobre anjos, mas acreditamos que são muito melhores e mais sublimes do que nós. Os anjos a respeito dos quais Judas fala, inclusive um chamado Lúcifer, são aqueles que caíram no pecado e foram expulsos do céu por Deus. Como podem os anjos cair e tornar-se perversos e impuros? A Palavra de Deus nos diz que isso realmente aconteceu. Será que o fato de pensarmos sobre os anjos que pecaram não nos faz temer que nós, também, podemos pecar da mesma forma? Sim, mas aqui está a verdade sobre à qual Judas está feliz — o Senhor Jesus nos guardará! Às vezes, podemos cair em pecado, porém Ele vem e nos levanta de novo. Ele nunca desamparará os que crêem nEle.
Judas não escreve a respeito de Adão nesta epístola, todavia eu gostaria de mencioná-lo. Deus fez Adão um homem perfeito. Ele era puro, bom e sem pecado. Tinha uma vida feliz e tranqüila no jardim do Éden, onde Deus o havia colocado. Deus lhe disse para não comer o fruto de uma árvore especial do jardim. Adão foi desobediente. Ele comeu o fruto e pecou contra Deus. Então, Deus o expulsou do jardim. E assim, Adão precisou trabalhar arduamen¬te para produzir alimento, ou não teria nada para comer.
Devido Adão ter pecado, nós que descendemos dele também somos pecadores. Herdamos sua natureza; assim, como podemos esperar obedecer a Deus, posto que Adão fracassou? A única resposta é que o Senhor Jesus Cristo prometeu que, quando começar a operar em nossas vidas, Ele continuará até que tenha terminado a obra. Portanto, devemos louvar novamente com Judas: "Ora, aqueles que é poderoso para vos guardar de tropeçar...".


( C.H. Spurgeon)

10 de out de 2009

A PAZ



Jo 14.27; 16.33; Sl 34.14; Is 6.3; 26.3; Rm 8.6.,

INTRODUÇÃO: Em nossa época, cheia de inquietações, todo mundo anseia por PAZ. Pessoas, amigos, famílias, grupos, cidades, nações e o mundo buscam ardentemente a PAZ.
Vendem-se milhões de exemplares do livro PAZ COM DEUS, de Billy Graham, em muitos idiomas, bem como muitos outros livros sobre o assunto, como indicação desta ansiedade, o desejo de PAZ. Em algumas línguas, tais como o Árabe e o Hebraico, bem como a saudação cristã e da maioria das igrejas é “PAZ”, com algum complemento. Sem dúvida, somente quando Jesus Cristo possui nossos corações, podemos ter verdadeira paz. Nesta mensagem ocupamo-nos somente de aspectos deste tema.

I. DEFINIÇÕES COMUNS DE PAZ – Dicionários Seculares.

1. PAZ – Tranqüilidade pública; concórdia; sossego; cessação de hostilidades; silêncio; descanso; - de alma: pessoa tranqüila, inofensiva e indolente.
2. PACIENCIOSO – Cheio de paciência, calmo, tranqüilo.
3. PACIENTAR – Ter paciência, ser calmo, tranqüilo, mostrar-se paciente, ser paciente.
4. PACIENTE – Resignado; sofredor; manso; pessoa que padece ou vai padecer; aquele que recebe uma ação de um agente.
5. PACIFICAÇÃO – Ato ou efeito de pacificar.
6. PACIFICADOR – Aquele que pacifica.
7. PACIFICAR – Restituir a paz a; apaziguar; serenar; tranqüilizar; voltar a paz; tranqüilizar-se.
8. PACIFICATIVO – É a pessoa pacificadora.
9. PACIFICIDADE – Qualidade de pacífico.
10. PACÍFICO – Amigo da paz; Sossegado; Manso; Tranqüilo; indivíduo pacífico.
11. PACIFICISMO – Sistema dos que pugnam pela paz universal e pelo desarmamento das nações.
12. PACIFISTA – Partidário do pacifismo.

II.ETAPAS PARA OBTER A PAZ COM DEUS
1. O PLANO DE DEUS – PAZ E VIDA.
Deus nos ama e quer que experimentemos Sua Paz e Sua Vida. A Bíblia diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

2. O PROBLEMA DO HOMEM – É A SEPARAÇÃO.
O Estar em paz com Deus não é algo automático, visto que, por ‘ natureza, o homem está separado de Deus.
A Bíblia diz: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23).

3. O REMÉDIO DE DEUS – A CRUZ.
O amor de Deus serve como ponte sobre o abismo que separa o homem de Deus. Quando Jesus Cristo morreu na Cruz e ressuscitou dentre os mortos, pagou a pena pelos nossos pecados.
A Bíblia diz: “Quem levou ele mesmo nossos pecados sobre o madeiro...” (I Pe 2.24).

4. A RESPOSTA DO HOMEM – ACEITAÇÃO DE CRISTO.
Assim cruza a ponte que lhe faz ingressar à família de Deus, quando aceita a Jesus Cristo, por convicção pessoal.
A Bíblia diz: “Mas a todos quantos o receberam, aos que crêem em seu nome, lhes deu o poder de serem feitos filhos de Deus” (Jo 1.12).

5. PARA RECEBER A CRISTO O HOMEM TEM QUE FAZER QUATRO COISAS:
1. ADMITIR sua necessidade espiritual – “SOU PEGADOR”.
2. ARREPENDER-SE e ter o propósito de abandonar o pecado.
3. CRER que Jesus Cristo morreu na cruz por você (pessoal).
4. RECEBER a Jesus Cristo em seu coração e sua vida, por meio da confissão, oração e discipulado.

A Bíblia diz (falando Jesus mesmo): “Eis que Eu estou a porta e bato (chamo); se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta entrarei em sua casa, cearei com ele, e ele comigo” (Ap 3.20).
“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo” (Rm 10.13).


III. A PAZ COM DEUS.

1. A Paz com Deus chega a te nós mediante o perdão dos pecados, pelos méritos e o sacrifício de nosso Salvador, Jesus Cristo.
2. A paz com Deus implica em um cessar das hostilidades, maldades e pecados. Quando uma pessoa confessa sua soberba pecaminosa, aceita sua derrota e se submete a Deus, sua guerra contra o Senhor acaba. “JUSTIFICADOS, POIS, PELA FÉ, TEMOS PAZ COM DEUS, POR MEIO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO” (Rm 5.1). “E, por meio dEle reconciliou consigo mesmo todas as coisas, assim as que estão na terra como as que estão nos céus, fazendo a PAZ mediante o sangue da sua Cruz” (Cl 1.20). “Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não tomando em conta aos homens seus pecados” (II Co 5.19).
3. A Paz com Deus produz uma sensação de Bem estar e confiança. “E Ele Deus de esperança os encha de todo gozo e PAZ em vosso crer, para que abundeis em esperança pelo poder do Espírito Santo” (Rm 15.13).

IV. A PAZ DE DEUS.

1. A Paz de Deus é o legado aos crentes, cristãos e discípulos, apresentando-se quando caminhamos em obediência à sua vontade para nossas vidas.
2. Muitos cristãos têm paz com Deus, porém não têm experimentado a Paz de Deus em suas vidas. Estão desgarrados e sobrecarregados pelas ansiedades e os temores que destroem a estabilidade espiritual e o gozo do Senhor. A Paz é um dom de Deus, e legado a todos os cristãos; porém, há muitos que não a gozam.
3. A Paz de Deus se deriva de um companheirismo pleno e sincero com Ele, que é a nossa Paz.

V. EIS UMA FÓRMULA SIMPLES DA PALAVRA DE DEUS PARA GOZARMOS A PAZ DO SENHOR. Salmo 37.1-5 c/c. Fp 4.6,7.

1. No Salmo 37. 1-5.
1. Não nos angustieis não estejais ansiosos, (v. 1);
2. Confiai no Senhor, (v. 3);
3. Deleitai-vos no Senhor, (v. 4)
4. Descansar no Senhor, (v. 7).


2. Em Filipenses 4.6,7:

1. Não estejais ansiosos por nada, (v. 6);
2. Levai tudo em oração, (v. 6);
3. Estai agradecidos por tudo, (v. 6).
“E a Paz de Deus, que sobre passa todo entendimento, guardará vossos corações e vossos pensamentos em Cristo Jesus”.


VI. ESTRATÉGIAS DE ORIENTAÇÃO PARA OBTER E MANTER A PAZ.
1. Para uma pessoa não cristã:

1. Explicar as etapas para se obter a paz com Deus, Item II.
2. Aconselhar que adote uma postura firme por Cristo.
3. Que leia e estude a Palavra de Deus todos os dias, descobrindo o como viver com Cristo-Discipulado.
4. Assistir a uma igreja séria que ensine a Palavra de Deus, para obter companheirismo e aprender a orar, aprender e viver as escrituras sagradas e adorar.
5. Orar com essa pessoa, para que possa experimentar abundantemente em sua vida a Paz com Deus e a Paz de Deus.

2. Para o Cristão:

1. Confessar todos os pecados, os erros, a irritação, a ira, a amargura que podem estar impedindo sua vida de Paz com Deus;
2. Lembrar que alguns pensamentos sobre a Paz de Deus que aconteceram com antepassados;
3. Animar-se a desenvolver uma vida devocional diária, como meio para deleitar-se no Senhor, e experimentar a sua paz, devemos:
a) Ler e estudar a Palavra de Deus todos os dias, aprendendo como ter um viver diário com Cristo;
b) Orar por todas as coisas e confiar que Deus atuará como escrito em Romanos 8.28;
c) Entregar todos os dias sua vida a Deus no espírito do que diz em Provérbios 3.5,6.
4. Freqüentar com mais assiduidade a Igreja e a Célula, onde há ensino da Bíblia, terá companheirismo, adoração, estudo bíblico e serviço;
5. Oração com o discípulo, para que Deus lhe dê a Paz, vitória e gozo;


CONCLUSÃO – Devemos buscar, incessantemente, uma vida de maior comunhão e intimidade com Deus, para que a Sua Paz esteja constantemente em nós e conosco. Assim seremos pacificadores e seremos chamados Filhos de Deus, conforme está em Mt 5.1-5.

Manaus/Am, 26 de fevereiro de 2005.
Prs. Jonatas e Ana Lúcia Câmara e Família