15 de dez de 2009

Uma chave para a felicidade



A QUEM PERTENCEM O MUNDO E TUDO O QUE NELE EXISTE?

R. Ao Senhor, nosso Deus e Pai.

"Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam. Fundou-a ele sobre os mares e sobre as correntes a estabeleceu". Salmos 24:1,2
"Minha é a prata, meu é o ouro, diz o Senhor dos Exércitos ". Ageu 2:8

A Bíblia declara que todas as coisas foram feitas por Deus e são mantidas por Deus.
A Bíblia também nos garante que toda a prata e ouro pertencem a Deus. Todos sabemos o que isso significa. Significa, simplesmente, que Deus é dono de toda a riqueza, de tudo o que há no mundo. Ele é o dono absoluto de todas as coisas. Muitos talvez tentem duvidar disso, alegando que o poder e a riqueza estão nas mãos de muitas pessoas corruptas, insensíveis a Deus, ateus e anti-Deus. Porém, isso não anula a verdade bíblica de que tudo pertence a Deus e que Ele é o dono de todas as coisas que há na Terra.



O QUE É O HOMEM EM RELAÇÃO A
TODAS AS COISAS QUE
PERTENCEM A DEUS?

R. Mordomo.


"Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e então partiu. O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco. Do mesmo modo o que recebera dois, ganhou outros dois. Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor. Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles. Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo; Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei. Disse-Ihe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor. E aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me confiaste; aqui tens outros dois que ganhei. Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor. Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste, e ajuntas onde não espalhaste, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu. Tirai-lhe, pois, o talento, e dai-o ao que tem dez. Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. E o servo inútil lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes". Mateus 25:14-30

Um mordomo é alguém a quem o seu senhor confia os seus bens para administrá-los.
Ele espera que o mordomo, seu empregado, faça a melhor aplicação possível dos bens a ele confiados.
Assim Jesus ensinou a esse respeito, como vemos no texto acima proposto.
Os bens do Senhor (Deus), nessa história coníada por Jesus, foram entregues a três servos, os mordomos desses bens. Eles deveriam fazer a melhor aplicação possível com os bens de seu Senhor. Dois deles fizeram uma boa aplicação, enquanto um, o que menos havia recebido, não aplicou corretamente o seu talento, pelo contrário, o invalidou enterrando-o. Os dois outros servos ganharam como recompensa o grande elogio do Senhor e o servo que havia recebido mais talentos ganhou ainda o talento que o outro negligenciara. O servo mau foi duramente castigado e lançado, para a eternidade, no fogo do inferno.
A história contada por Jesus é uma grande lição que serve de alerta para todos nós.
Os bens que temos, sejam eles espirituais ou materiais, pertencem a Deus. Somos apenas servos do Senhor, seus mordomos, para aplicar da melhor maneira possível o que Ele nos dá.
O servo negligente fez o acerto de contas somente no dia do Juizo Final e assim também será conosco.
Muitas pessoas estão usando as riquezas, principalmente os incrédulos, da maneira como bem entendem. Usam mal, gastam somente com seus próprios interesses, abusam dos pobres, vivem na luxúria e devassidão, perversão de toda sorte, pensando que nunca prestarão contas disso. Mas estão enganados. A riqueza da qual estão se aproveitando não lhes pertence. Pertence a Deus. Um dia, darão contas disso a Deus. E nós sabemos o que isso significa. Essas pessoas pensam que tudo o que estão usando é seu. Enchem o seu peito orgulhosamente dizendo que trabalharam para ter o que hoje possuem. E mentira. Tudo é de Deus. Se Deus não lhes desse vida, saúde e inteligência, nada teriam. Tudo é de Deus e um dia (infelizmente muito tarde para alguns) descobrirão essa grande verdade.
Porém, mais triste ainda é que muitos que se dizem cristãos convictos vivem de maneira semelhante. Usam e abusam dos bens materiais pensando que são seus. Mas não é assim. Tudo é de Deus. Essas pessoas são mais indesculpáveis ainda. Vivem na Igreja de Deus, ouvem a Palavra de Deus que os admoesta a esse respeito, mas ainda assim continuam vivendo como bem lhes parece. Seu acerto de contas com Deus também já está marcado. Estão negligenciando a verdade de que tudo é de Deus. Estão fazendo mau uso dos tesouros de Deus (seus bens materiais e espirituais).
Mantenhamos bem viva essa verdade em nossa mente: Tudo é de Deus! Somos apenas mordomos de seus bens. Um dia, Ele pedirá contas do que fizemos com relação a tudo o que Ele nos confiou.

( Trecho do livro: "Uma chave para a felicidade" A dinâmica dos dízimos e das ofertas de Cláudio Ernani Ebert)


Nenhum comentário: