20 de jul de 2009

A Palavra de Deus

A PALAVRA DE DEUS

“Bem-aventurado aquele que lê, e ao que ouvem as palavras desta profecia, a guardam as coisas que nela estão escritas...”

“Bem-aventurado aquele que lê”. É grandemente abençoado o que lê [atenta para a Palavra de Deus] (Pv 4.20), porque está guardado do erro e de toda sorte de pecados em sua vida (Sl 119.11; Mt 22.29). A Palavra de Deus é uma lâmpada ( Sl 119.105) que ilumina o nosso caminho; é escudo para os que confiam no Senhor (Pv 30.5); é espada bigúmea, que penetra até a divisão da alma e do espírito (Is 49.2; Hb 4.12); é fogo e martelo que esmiúça a penha (Jr 23.29); é a boa semente (Lc 8.11; 1Pe 1.23); é espírito e vida (Jo 6.63); é a verdade ( 2Sm 7.28; Sl 119.142,151; Jo 17.17); é a água que lava ( Jo 3.5; Ef 5.26; Tt 3.5; Hb 10.22); purifica o pecador para ser salvo; é doce ao paladar ( Sl 119.103), melhor do que o licor dos favos e do que se pode desejar (Jó 28.15-19; Pv 8.11). A Palavra de Deus permanece para sempre ( Sl 119.89; Is 40.8; Mt 24.34,35).
Deus nunca permanece sem testemunho ( At 14.17); por isso tem falado aos homens de diversas maneiras:

a) Através da própria natureza ( Sl 19. 1-4; Rm 1.19,20)
b) Diretamente ao ser humano (Dt 5.24)
c) Por meio dos anjos (Gn 16. 7-12; Lc 1.28)
d) Por intermédio dos profetas (2Pe 1.21).

Mas somente falar pela natureza ou pela revelação natural não foi suficiente, embora pudesse levar o homem ao conhecimento de Deus e exigir dele a adoração devida; por isso, o Senhor concedeu a revelação escrita ou Sua Palavra, pela qual não só fez com que o ser humano o conhecesse como também ouvisse sua voz (Is 8. 19,20; 34,16; Jo 5.39,40; Rm 2. 14,15). Não podemos confiar muito na nossa memória e na tradição, para retermos tudo o que é necessário; por isso, tornaram-se as Escrituras uma necessidade. Em suma, a Palavra de Deus é um guia infalível, para preparar o homem quanto ao conhecimento do Senhor e indicar-lhe o caminho a seguir em sua vida ( 2Tm 3.15-17).

“E os que ouvem”. O Senhor tem reservado bênçãos especiais para os que o ouvem (obedecem). Através de Isaías o Senhor diz: “Inclinai os vossos ouvidos e vinde a Mim, ouvi e a vossa alma viverá, porque convosco farei um concerto perpétuo, dando-vos as firmes beneficências de Davi” (Is 55.3). Jesus recomenda: “Vede pois como ouvis; porque a qualquer que tiver lhe será dado, e a qualquer que não tiver, até o que parece ter, lhe será tirado”( Lc 8.18); “Na verdade vos digo, que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viveram ( Jo 5.24,25).

“E guardam”. José, filho de Jacó, guardava as revelações que Deus lhe dava e as conferia ( Gn 37.5-7,9,10; 42.6-9). Maria, mãe de Jesus, também guardava tudo quanto lhe era revelado acerca de seu filho (Lc 2.19-51). Feliz é o homem que não se deixa levar por todo o vento de doutrina (Ef 4.14), mas examina bem para certificar-se da verdade, como fizeram os bereanos (At 17.10-12). Paulo recomenda a Tito e a Timóteo a conservação da sã doutrina (1Tm 6.13,14; 2Tm 1.13; 3.14,15; Tt 1.9;2.1,7). Há muitos desordenados que não se conformam com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com a doutrina que é segundo a piedade (1Tm 6. 3-5). Isso para provar o que diz o Espírito Santo: “apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1-3) e “obedecendo a outro evangelho ou outra palavra, que é segundo os homens” (Gl 1.8-12). São, portanto, bem-aventurados os que ouvem e guardam as coisas contidas na Palavra de Deus.


(Livro “Estudos sobre o Apocalipse”- Armando Chaves Cohen)

Nenhum comentário: